681818171876702
Loading...

Virgem leiloada poderá ficar amarrada espiritualmente ao comprador até a morte, disse Sarah Sheva, autoridade gospel no assunto


The Christian Post

Andrea Madambashi

A brasileira Catarina Migliorini, de 20 anos, que está leiloando a sua virgindade, está causando grande polêmica em âmbito nacional e internacional, com diversos líderes cristãos e grupos pró-família expressando grande indignação sobre o caso.

A pastora Sarah Sheeva comentou o caso ao The Christian Post e explicou as possíveis consequências disso a partir de um ponto de vista espiritual.

"Quem acredita nas Escrituras sabe que ela revela que o sexo é uma aliança que vai muito além do corpo físico, é uma aliança espiritual. O que vai acontecer é que espiritualmente essa jovem vai estar ligada com o homem que ela fizer sexo até morrer, ligada espiritualmente, não emocionalmente, mesmo sem ter sentimentos por ele, porque o sexo tem o poder de fazer isso (espiritualmente) com as pessoas. Mesmo que não queiramos, o sexo tem essa consequência espiritual”, disse Sarah Sheeva ao CP.

A pastora explica também que “a menos que ela tenha uma verdadeira experiência com Jesus, a aliança sexual não poderá ser quebrada”.

“O sexo tem uma parte que não pode ser lavada com um simples banho com água e sabão, porque ele vai muito além do corpo físico. Só o sangue de Jesus Cristo pode limpar e quebrar alianças desse tipo, que além do corpo físico, também envolvem o corpo espiritual.”

“É por esse motivo, por causa de alianças sexuais, que muitas pessoas se sentem presas a pessoas de seus passados, pois essas alianças são espirituais", acrescentou ela.

Catarina é estudante de educação física e trancou a faculdade para participar do projeto de documentário "Virgins Wanted" dirigido pelo australiano Justin Sisely, que veio recrutando virgens por mais de um ano.

Catarina revelou recentemente que ela decidiu fazer não somente por negócios mas para ajudar também a entidades de caridade, em Santa Catarina.

A pastora Sarah Sheeva, que é escritora e conhecida por pregar sobre relacionamentos e abstinência sexual antes do casamento, acredita que Catarina talvez não tenha consciência do valor dela.

“Ao que parece, ela talvez não tenha fé num relacionamento e casamento, não criando esperança e expectativa, ou não sonhando com uma família”, disse Sarah Sheeva ao CP, tentando compreender o lado de Catarina.

Sarah Sheeva, que recentemente realizou o Culto das Princesas em Nova Jersey, EUA, explicou que a atitude de Catarina em vender a sua virgindade pode estar refletindo seu estado emocional, talvez até uma decepção, e que ela talvez não acredite que um homem possa vir a valorizar a sua virgindade.

Especialista em ginecologia gospel
"Todas as atitudes que nós temos são baseadas no que nós acreditamos. Para ela chegar a vender a virgindade é porque ela acredita (ou não acredita) em algo ligado a virgindade, e aos relacionamentos sentimentais e sexuais. Provavelmente ela NÃO acredita que possa um dia ser amada ou que valha a pena ela guardar sua virgindade para um homem”, disse a pastora.

Em declarações anteriores, Catarina afirmou que vê o leilão de sua virgindade como um negócio.

“Vejo isso como um negócio. Tenho a oportunidade de viajar, fazer parte de um filme e conseguir uma gratificação com isso”, disse Catarina.

Ela receberá 20 mil dólares australianos (aproximadamente R$ 42,6 mil) e mais 90% do valor ofertado.

Considerando a fé daqueles que acreditam no valor da virgindade e seguem os princípios bíblicos, a pastora Sheeva expressou indignação sobre o fato de que o sexo seja utilizado como "algo descartável".

"A Bíblia fala que o mundo está perdido. E o comportamento dessa jovem é a prova disso. Até que ponto chegamos na humanidade?
A ponto de uma jovem não só vender sua virgindade, mas usar isso como promoção, e lidar com o sexo como se ele fosse descartável".

De acordo com ela, para os que conhecem a Bíblia - tem entendimento espiritual - a situação de Catarina está sendo um "escândalo". Mas a pastora entende que Catarina tenha assim decidido por aparentemente não possuir o mesmo entendimento espiritual do que o sexo pode fazer com as pessoas (no âmbito espiritual, e não físico).

“Ela não tem esse entendimento espiritual, por isso ela está tratando o sexo como algo que água e sabão lavam".

"Não falamos pela questão moral, mas pelo âmbito espiritual do que o sexo pode fazer e isso tem a ver com fé (....). A Bíblia diz que para os que não creem, a Palavra de Deus é loucura", acrescentou.

Catarina justifica sua decisão apontando que, "muita gente encontra desconhecidos nos bares, transa na mesma noite e nem lembra mais no outro dia; outros perdem a virgindade com namorados e depois as coisas mudam".

Outros líderes cristãos também se pronunciaram sobre o caso com grande indignação.

O pastor Jaime Kemp, doutor em ministério da família que orienta a juventude brasileira, disse recentemente ao The Christian Post que se entristeceu com a notícia e chamou isso de “abuso”.

“É usar e abusar de uma menina”. “Estamos usando e abusando de uma pessoa ou de um grupo de pessoas. É triste!” disse ele ao CP.










 

sexualidade 2324053628081693727

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail