681818171876702
Loading...

Cortaram a outra asa da Lagoinha. Valadão toma chumbo nas eleições!





Na semana passada, noticiamos que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais paralisou projeto de lei permitindo a construção de um templo evangélico da Lagoinha em área pública e ainda prejudicando moradores locais humildes.


Leia Aqui:


Tribunal de Justiça Corta as Asas da Igreja Batista da Lagoinha


Vereador de estimação, irmão camarada.
O projeto brilhante era da lavra do vereador de estimação de Márcio Valadão, João Oscar (PRP) e envolvia a construção do templo em vias públicas. Ruas que dão acesso a casas de moradores humildes seriam vendidas pelo município a organização Lagoinha a preço de banana e com financiamento ungido com a benção de juros camaradas!

Já os moradores do entorno do atual templo, dependentes das ruas a serem privatizadas para o acesso as suas residências... Bem, estes não precisariam se preocupar... Suas casas (construídas em terrenos perfeitamente legalizados, diga-se) seriam desapropriadas para dar lugar ao futuro estacionamento do templo da Lagoinha. Os proprietários humildes seriam ressarcidos com o valor que a prefeitura julgasse justo. Alguns moram no local há mais de 50 anos!

Leia mais aqui:

Político da Igreja Batista da Lagoinha quer dispor de bem público para beneficiar sua igreja


Felizmente, o Tribunal de Justiça mandou paralisar o projeto, que já havia sido aprovado na câmara, cortando as asas da Lagoinha. Os líderes da seita lavraram inúmeros protestos e súplicas em favor das pretensões de conforto e vaidade de seus propalados  50.000 membros - merecedores de uma catedral neopentecostal digna das ambições continentais, internacionais ou, quiçá, universais da agremiação gospel mineira.

Não deu. Passa amanhã!, disse o povo de Belo Horizonte aos Valadão.




O povo de Belo Horizonte falou nas urnas. Alto o e claro. O vereador da Lagoinha recebeu míseros 4.212 votos e não se reelegeu.

- Peninha, genti! Oh dó, sô!

Uma grande derrota para o voto de cajado. 

O fracasso eleitoral de Márcio Valadão nos conduz a um dilema de profundas ramificações éticas e religiosas, além de levantar algumas questões práticas importantes (risos). Entre tantas, elencamos a seguir algumas possibilidades. Uma, ou mais, devem ser verdadeiras:


1) A Lagoinha não tem 50.000 membros. Se tivesse, elegeria até dois vereadores na capital mineira.
2) Os membros da Lagoinha não comem mais “pão de queijo na mão dos Valadão”, como se pensava. Há ovelha no meio daquele pasto de burros. Tem gente que não se dobrou.
3) Ana Paula Valadão liberou a unção do leão no culto de sábado e o povo caiu tanto que se esqueceu de levantar e ir votar no domingo.
4) Ainda há muita gente na Lagoinha que PENSA; Tem vergonha na cara; É gente honrada e cristã e não concorda com mais esta demonstração de ausência de ética e espírito público por parte de seus líderes e seus candidatos superpoderosos.
5) Alguém liberou uma palavra rhema fora do mover da visão profética e o povo da lagoinha resolveu tomar posse de seu próprio cérebro.
6) A vergonha pesou. A decepção grassou. O povo acordou.
7) A mineirada aproveitou o feriado e foi para Cabo Frio e Marataizes e deixou o Valadão na mão.
8) Algum anjo massagista “massageou” as urnas mineiras.
9) O povo da Lagoinha se confundiu com a última campanha do pastor Lucinho e, no momento da votação, cheirou a urna, ao invés de sufragar em favor de seu candidato a vereador (gargalhadas).
10) Foi o capeta.

Lagoinha não elege seu vereador.

Fato auspicioso: Avaliando esta derrota em conjunto com outras derrotas sofridas por bispos, apóstolos e pastores Brasil afora -a do marionete de Edir Macedo, o Russomano, em especial- percebem-se sinais de que o povo está ACORDANDO. 

As urnas estão falando, as pedras estão clamando, os blogueiros estão digitando e, em breve, se Deus assim quiser,  esta corja que invadiu a Casa de Oração vai ter de arrumar um emprego descente.  Ficarão os servos de Deus e o povo os reconhecerá. A Igreja prevalecerá.







Dica do Mariel Marra








 

politicagem na igreja 5159942107009410318

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail