681818171876702
Loading...

Dados sobre "não conformistas" serão disponibilizados na rede pela 1ª vez.

Caso você não saiba, esta é a imagem de um "quaker".


Registros de dissidentes religiosos, incluindo William Blake, Daniel Defoe e JS Mill, estarão "online" pela primeira vez.
A noticia abaixo revela uma parte da história inglesa que eu não conhecia. Uma terra onde "um tipo" de evangélico protestante assume o poder político, e não aceita que a "igreja" seja questionada, igualzinho uma outra na qual estavam fugindo.

Fonte: Telegraph

A primeira parcela dos chamados "não-conformes" foi disponibilizada na internet, detalhando as centenas de milhares de pessoas que abalaram a ordem estabelecida com ideias alternativas ao longo dos últimos 225 anos.

O banco de dados, que foi ao ar na quarta-feira, revela quem se recusou a obedecer à doutrina da Igreja Anglicana, incluindo metodistas, presbiterianos, congregacionais, batistas e quakers.

Os quakers foram o primeiro grupo religioso a denunciar a escravidão, enquanto os metodistas foram grandes defensores dos direitos das mulheres.

Mais de 224 mil nomes estão incluídos no repertório, que data do final do século 17, detalhes de batismo, casamentos e as inscrições em suas lápides.

Os documentos digitalizados, originalmente vindos da London Metropolitan Archives, e disponibilizado pelo Município da entidade em Londres, e compilados por Ancestry.co.uk, um site de história da família.

Entre as pessoas que aparecem nos arquivos, constam George Fox (1624-1691), fundadora da Sociedade Religiosa dos Amigos (Quakers), Daniel Defoe (1659-1731), autor de Robinson Crusoe, que era o filho de dissidentes presbiterianos, William Blake (1757-1827), um dos maiores artistas da Grã-Bretanha, e John Stuart Mill (1806-1873), filósofo e político britânico.

Como os "não conformistas britânicos" não foram registrados pelo Estado até 1837, esses documentos são, na maioria das vezes, os únicos registros desses "rebeldes" em toda sua na existência. Eles também fazem parte do histórico London Records.

Especialistas dizem que os "não conformistas", que eram simplesmente rotulados se alistaram-se como sendo parte de "organizações de dissidentes", foram muitas vezes os intelectuais e pensadores, que pode ser largamente creditado como sendo moderna por trás das liberdades civis.

Na época, era muito comum que estes "rebeldes" sofressem terrivelmente nas mãos dos poderosos da Igreja da Inglaterra por meio de leis, conhecida como Código de Clarendon, que foram aprovadas por um Parlamento anglicano.

Naquele tempo, se restringiu os direitos civis daqueles que não professassem fidelidade à Igreja e impedia a trabalhar para o estado, mantendo uma posição em cargos públicos ou até mesmo ir para a universidade. Eles permaneceram em vigor até 1828.

Muitos deles não fugiram para a América, ficando na Inglaterra durante o século 18.

Sua decendência hoje, através do Partido Democrata pode traçar suas origens até os dissidentes religiosos, que apoiavam os políticos Whig, nos séculos 18 e 19, em seu impulso para uma maior direitos civil e religioso.

"Muitos da livre, multi-religiosa e da sociedade multicultural ao redor do mundo deve muito ao movimento não conformista ocorrido entre o século 18 e 19, que lutaram por uma Inglaterra mais tolerante e diversificada", disse Dan Jones do Ancestry.co.uk.


Postou @cristãoconfuso direto da redação do @genizahvirtual  





religião 8968468112593851377

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail