681818171876702
Loading...

Prostitutos Cultuais

João de Souza filho
Eu estava tentando encontrar um adjetivo para qualificar os atuais cantores e pregadores que cobram elevadas somas em dinheiro para pregar ou cantar nas igrejas e em conferências promovidas por evangélicos, e achei que “mercador da fé” não é um adjetivo apropriado, porque é simples demais para nominar tais pessoas. Pois bem. Vejo esses exploradores da boa-fé evangélica como prostitutos cultuais – que é a tradução da versão atualizada – para os que se prostituíam junto aos templos pagãos e que depois passaram a se prostituir diante do templo do Senhor em Jerusalém. Porque os prostitutos (as) cultuais mencionados na Bíblia exploravam os que se dirigiam ao templo para adoração oferecendo-lhes um pouco de orgia – orgia sexual revestida de espiritualidade, como alguns desses a que me refiro que falam línguas, profetizam, oram pelos enfermos, são místicos e super espirituais. .. Mas orgiofantes (como os sacerdotes que prestavam culto a Dionísio).

Os prostitutos e prostitutas cultuais, comuns nos templos pagãos passaram a conviver com os adoradores junto ao templo de Jerusalém, indicativo de uma deformação espiritual da nação de Israel. Não estou afirmando que é comum tais pessoas se prostituir de verdade, em orgias sexuais; estou afirmando, isto sim, que sempre que uma pessoa se afasta de Deus, comete prostituição com outros deuses – fato mencionado pelo próprio Deus em várias passagens do Antigo Testamento. Em Ezequiel 16 ele compara Israel a uma menina, que é cuidada por Deus, adornada e preparada para ser esposa, mas se prostitui com os povos vizinhos.

Deus se antecipou ao que poderia acontecer e recomendou a Moisés: “Das filhas de Israel não haverá quem se prostitua no serviço do templo, nem dos filhos de Israel haverá quem o faça... Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do Senhor, teu Deus (Dt 23.17-18). O que se vê hoje no Brasil é uma orgia espiritual, uma masturbação coletiva praticada por cantores e cantoras, pregadores e pregadoras, que não conseguiram fazer sucesso no mundo e encontraram na igreja um filão de negócio; o caminho para o enriquecimento à custa da espiritualidade dos irmãos.

Imagine o Lázaro da Bíblia, que Jesus ressuscitou dos mortos gravando seu cd e saindo pelo mundo a pregar nas igrejas, usando os recursos para comprar bens e imóveis em Atenas, Roma e Jerusalém. Imagine Dorcas, relatando sua ressurreição e insinuando aos irmãos por onde pregava que precisava de dinheiro para comprar máquinas de costura a fim de ajudar os pobres com maior eficácia, lucrando com a bênção alcançada. Eles seriam excluídos do rol de membros do céu pelos apóstolos. Pois sei que esses excrementos espirituais – e não há palavra melhor para descrever tais pessoas – cobram preços exorbitantes para pregar e cantar. Eu estava numa cidade pregando o evangelho e em várias cidades daquele Estado os irmãos se mobilizavam para ouvir o ex (que deve ter fracassado no mundo) cujo preço varia de 20 a 35 mil reais por apresentação. Este cantor que explora a espiritualidade do povo deve ganhar, pelo menos, com a agenda cheia em torno de cem mil reais por semana! Sim, porque fazem sucessos os ex-, sejam ex de quaisquer espécies. Ex que tocou na famosa banda do mundo; ex- que se prostituía com drogas, mas agora se prostitui com dinheiro. Prostituem-se com a fé. Sim, porque quais prostitutos cultuais do AT usam da espiritualidade para fazer orgia com o povo com o fim de levar o povo a se alegrar, enquanto eles ficam ricos.

Uma denominação pentecostal nutriu, alimentou e criou um pregador que cobra o exorbitante preço de quinze mil reais por pregação e nunca tomou uma atitude corretiva e disciplinar quanto a seu enriquecimento e vida pessoal; ao contrário, alimenta o sucesso desse mercador de dons. Balaão se sentiria envergonhado!

Assim, quando viajo pelo Brasil sinto no ar o odor fétido que eles deixam por onde passam; o odor da prostituição espiritual, o cheiro nauseabundo que costumam exalar os espiritualmente mortos. Que se prostituem espiritualmente e que levem pastores, líderes e povo à prostituição com eles é inegável, e não é de se duvidar de que se prostituam literalmente em seus confortáveis quartos de hotel. Pregadores e cantores que fazem exigências incomuns; que não aceitam fazer uma refeição na casa de irmãos; apenas em restaurantes que servem a La Carte. Que não se contentam com os bons hotéis e se não houver os melhores, recusam-se participar de eventos a menos que suas exigências sejam atendidas.

Os culpados são os líderes que atraídos pela ganância financeira esperam obter lucros com os gananciosos. Certamente porque muitos pastores, apóstolos e líderes se prostituíram espiritualmente, empolgados com as riquezas deste mundo, sonhando com mansões no litoral brasileiro e nas famosas cidades dos Estados Unidos.

Que posso dizer? Afirmar que alguns desses pastores que apóiam tais cantores e pregadores, juntamente com estes sejam descendentes de Balaão – que se prostituiu e usou de seus dons para ensinar Balaque a armar ciladas para os filhos de Israel – seria ofender o profeta do Antigo Testamento, que por seu pecado foi morto por Josué. Quem sabe possuem o DNA de Judas, ou são da mesma linhagem espiritual que vendem o nosso Senhor em troca das benesses de Mamom. Pedro e Judas descreveram tais cantores, pregadores e pastores com adjetivos pouco recomendáveis, afirmando que estes “andam em imundas paixões e menosprezam qualquer governo. Atrevidos, arrogantes, não temem difamar autoridades superiores...

Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco; tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos; abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça... Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas”Por mistificações o apóstolo está se referindo aos que usam dos dons espirituais para se sobrepor aos demais; eles têm dons, são místicos e falam como se uma nuvem de transcendência divina repousasse sobre eles.

Faz-se necessária uma limpeza na igreja, a Casa de Deus, como fizeram Asa e Josafá. Asa tirou de cena sua própria mãe e “removeu os prostitutos cultuais” que usavam o templo como local de prostituição. Josafá ainda precisou intensificar a reforma, porque, de tempos em tempos os aproveitadores da boa vontade do povo; os exploradores da espiritualidade das pessoas, tais como eram os filhos de Eli aparecem na igreja de Deus (1 Rs 15.12; 22.47).


Uma igreja rameira serve de alcova para os exploradores da espiritualidade do povo. E Deus haverá de limpar sua igreja.


***

Fonte: Site Pr. João A. de Souza filho via Orthodoxia
Teologia da Prosperidade 3416667934298366123

Postar um comentário

  1. É um texto excelente, não entendo porque ninguém comentou. Concordo com o autor, o trabalho que vemos hoje realizado dentro das igrejas por muitos músicos e pastores, é o trabalho de prostitutos e prostitutas cultuais, adoradores de mamom.

    Cão é o nome dado aos homens prostitutos cultuais, que participavam das orgias nas portas do templo, o sexo era praticado também entre homens.

    É triste ver a que estão reduzindo todo o trabalho de evangelismo que deveria estar transformando vidas.

    Eles estão destruindo vidas, com seus enganos e mentiras. Muitos desses ex, nunca deixaram de ser o que eram.

    Outros ex caem, mas está dando dinheiro para algum ministério que insiste que ele continue, que tudo aquilo é bobagem, todo mundo peca; pra não perder o dinheiro que a pessoa põe no ministério.

    ResponderExcluir
  2. Que texto forte e profundo, eu como pastor passei uma decepção com um renomado cantor gospel que eu trouxe para um evento, ele descumpriu o contrato trazendo mais seis e eu tive que arcar com as passagens e ainda quis me cobrar 200 por um café da manhã na cidade que ele pegou o avião.
    Esses cantores gospels são uma escócia, eu sei que há exceções, mas...isso tá tomando de tudos e todos. Ontem esteve em nossa cidade o padre Fábio que os católicos trouxeram, sabe quanto ele cobrou para cantar e pregar 100 mil reais.
    Pelo jeito a prostituição cultual chegou em Roma.
    Abraço Danilo, valeu.

    ResponderExcluir
  3. mas não deveria ser assim os cantores deveriam ir de graça ou apenas pagar os custos operacionais com sua ida ao referente evento

    ResponderExcluir
  4. Creio que Balaão é um bebê inocente perto desses mercenários da fé. Creio que Judas, o traidor, perde feio pra esse povo indecente que trai, e usa o altar de quem eles mesmos trairam.
    È medonho.

    ResponderExcluir
  5. GLORIFICADO seja a DEUS!!!
    Este trata-se de um texto de grande qualidade...
    Seria bom que nossa geração olhasse para dentro de si e se questionasse se estamos sendo ARTISTAS ou ADORADORES!
    Vejo que DEUS nos deu dos seus dons para pregarmos a sua palavra e conquistar a nossa geração com um evangelho de tranformação e vida e não para que venhamos a enriquecer utilizando o nome de Deus...
    Vejo que as cobranças para manutenção de depesas são justas, até porque a propria palavra do senhor diz que ela ama a justiça e não desampara o justo [salmo 37:28]. Sendo assim Deus não deixaria o justo mendigar o pao, mas lhe daria o suficiente para que se mantense.
    QUE O SENHOR VENHA NOS ESCONDER EM UM LUGAR ONDE NEM O OURO OU A PRATA VENHAM A NOS CORROMPER!

    ResponderExcluir
  6. Paz em Cristo Jesus!
    Não sou crente muito "velho". Comecei gostando de hinos e coro, ou solistas, mas tinha um bom referencial: "www.bbnradio.org" - Depois influenciado pela "adoração" da igreja presbiteriana que frequentava, comecei ouvir "Diant do Trono" e por ai vai. Graças a Deus, perguntava-me se ELE aceitava aquela adoração. Estou convicto que não se adora ao Deus Vivo somente com canções, mas ao fazê-lo devemos manter atitude de reverência e glorificação somente a ELE. Quanto a estes artistas cobrarem por apresentações, vejo que poucos, raros ou nenhum letrista ou músico lucrou com a sua oferta de adoração AO SENHOR DOS SENHORES. Creio que se colocarmos em evidencia o "vaso" e não o "oleiro", deixa de ser só "arte" e vira comércio/indústria. Quem vive só disso deve tomar cuidado, pois o apóstolo Paulo, nosso precursor viveu de doações e de seu "trabalho" fazendo barracas, e não enriqueceu às custas de suas pregações/adoração. Deus Pai tenha misericórdia de todos nós e aceite nossa Leal adoração. Fiquem na paz do Amado.

    ResponderExcluir
  7. Excelente, fiél e verdadeiro.

    ResponderExcluir
  8. EXCELENTE TEXTO! vejo que o problema deste comércio reside no consumidor final. tal povo, que só vai em uma marcha, evento, etc se o tal pregador e o tal cantor forem. sabendo que a maioria das igrejas evangélicas é sustentada por pedreiros, carroceiros, a culpa recai no consumidor intermediário também, qual seja a liderança que nutre e contrata esses malditos aproveitadores! ESTAMOS DIANTE DE UM CRIME CONTRA ORDEM ECONÔMICA RELIGIOSA!
    COMO SERIA BOM SE ACABASSEM OS CONTRATOS, E NINGUÉM COMPRASSE OS CDS!

    ResponderExcluir
  9. Um dos textos mais realistas do Genizah. É impressionante o fato de que esses palhaços da música gospel ainda consigam se apresentar por esses valores exorbitantes. Culpa de outros pastores mais gananciosos que querem lucrar com esses prostitutos.
    Em 2008 fizemos uma cotação de preços desses pseudo-adoradores:
    André Valadão = R$ 35 mil + passagens aéreas pra 20 pessoas
    Kleber Lucas = R$ 25 mil + passagens aéreas pra 12 + pessoas exigências no camarote exorbitantes
    Apascentar de Nova Iguaçu = R$ 20 mil + passagens aéreas pra 15 pessoas

    ResponderExcluir
  10. Indigno são esses fraudulentos que apropria do altar Santo. Meu Deus quanta hipocrisia em torno do Evangelho de Cristo.
    Ministrar(Pregar), para receber um bolada de R$ 20,000,00 ou mais... Pr. M. F.

    ResponderExcluir
  11. eita Deus...

    baita texto bom...

    algo relevante e infelizmente real.

    abç.

    ResponderExcluir
  12. Nossa, que texto forte! Mas,infelizmente muuuuito verdadeiro.

    ResponderExcluir
  13. texto muito apropriado para a igreja em nossos dias,sempre fui contra as fortunas que esses pregadores e pastores cobra pra falar "em nome do Senhor" que bom que alguem pensa como eu, e escreveu esse ótimo texto.

    ResponderExcluir
  14. Acho que tem o outro lado, além do lado do "artista" que se acha no direito de cobrar um absurdo.

    Há o povo que paga pra ver essa bizarrice! Há um enorme número de líderes que acha que vai "encher igreja" com "atrações" especiais, como se culto fosse show! Há macacos de auditório idólatras que "mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível" (Romanos 1. 23)

    Enquanto tiver quem "bata palmas", haverá palhaços no palco. Infelizmente...

    ResponderExcluir
  15. Ótimo texto, expressa a triste verdade dos nossos dias. Mas o que eu pergunto é o seguinte? Quem está mais errado? Quem cobra o preço exorbitante ou quem mesmo diante dessa extorção, contrata essas sanguessugas?

    ResponderExcluir
  16. Entre no firefox e no espaço de busca digitei: ABOUT:MOZILLA, pasmem, encontrei escrito o seguinte: "Mamon adormeceu.
    E o renascimento da criatura disseminou-se pela terra e seus seguidores tornaram-se exércitos.
    E eles apregoaram a mensagem e sacrificaram lavouras com fogo, com a astúcia das raposas.
    E eles criaram um novo mundo à sua imagem e semelhança conforme prometido pelo
    texto sagrado e
    contaram da criatura para suas crianças.
    Mamon despertou e, veja só, nada mais era do que um discípulo."



    de O Livro de Mozilla, 11:9

    ResponderExcluir
  17. Esses "levitas" e "pastores" só cobram o que cobram pq tem quem pague. Se dissermos NÃO para essa escória gospel rapidinho eles param com isso, pelo menos até inventarem outro modismo gospel para arrancar a grana do otár.. digo, do "povo de Deus".

    Mas cá pra nós, a maioria dos pastores que pagam o fazem pq os eventos "dão lucro", se é que vcs me entendem...

    ResponderExcluir
  18. Marcelo Sussuarana6 de maio de 2011 08:52

    Muito legal! É preciso realçar sua preocupação com aqueles que são profissionais. Esses (que não elevam sua carreira ao status de ministério) são pessoas sérias que colocam na maioria de suas composições verdades da Palavra.

    ResponderExcluir
  19. É uma pena que muita gente sofre por não entender ou discernir o que é o bem ou o mal, confundindo-se até com o seus pensamentos.

    A boa árvore se conhece pelos seus frutos.

    Quem somos nós para julgar?

    Antes de julgar olhe para dentro de voce, veja que tipo de árvore voce é.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Comente usando a sua conta Google ou use a outra aba e comente com o perfil do Facebook

emo-but-icon

Início item