Sobre o Genizah




O nome

Pronuncia-se Genizá.

Do Hebreu: גניזה "depósito" ou "lixeira" é um local em sinagogas onde se guardavam cópias incorretas de livros sagrados e outros documentos contendo o nome de Deus até que recebessem um enterro adequado, pois o costume proibia o simples descarte de escrito com o nome de Deus.

Genizahs em armários secretos e porões escondidos, também serviram, em momentos de perseguição ou desterro, como esconderijos para Escrituras Sagradas. Por conta disto, foram em genizahs perdidas no tempo que arqueológos encontraram relíquias importantes.


Aqui nesta genizah virtual guardam-se exortações sobre a igreja contemporânea e reflexões que julgamos importantes na esperança que o Eterno encontre para estas propósito de edificação na vida de outros.

A orientação editorial

Genizah é um blog não denominacional apologético, fundamentalmente. Tem como marca o bom humor, o respeito a sã doutrina e a inteligência. Em condições normais de temperatura e pressão, gostaríamos de nos ater a publicar artigos remetendo à beleza do cristianismo bíblico e à ética protestante.

Contudo, dada a urgência desta cena gospel trash travestida de avivamento, oferecemos bom combate a este marketing igrejeiro cuja raiz podre não é o marketing, tão pouco a igreja e sim o exercício de se vender algo que não é a verdade. Meio de vida de vendilhões. Tentativa desesperada de um satanás já derrotado na Cruz para esconder as verdadeiras Boas Novas.

Apologética e Razão

Apesar desta urgente missão, não queremos fazer uma crítica vazia.

Para começar, entendemos que criticar não é ação uma negativa por si só. Ao contrário do que pensa certo Telepastor, que ao ser admoestado argumentou que os críticos não constroem nada e arrematou perguntado aos seus tele espectadores: "Conhece algum crítico que construiu alguma coisa?" Sim, conhecemos: Jesus.

Como disse, Hermes Fernandes, um dos editores deste blog, Jesus peitou o sistema religioso de Sua época, mesmo sabendo o alto preço que teria que pagar por Seu atrevimento. [...] Hoje, se quisermos seguir os passos de Cristo, teremos que peitar uma verdadeira indústria religiosa, onde as pessoas são vistas, ora como produtos, ora como clientes, e ora como engrenagens.

Ou ainda como disse Rubinho Pirola, outro editor do blog: Vamos à denúncia e ao riso, mas sempre apontando para a Verdade, o sério, A Cruz. Pois se não fazemos isto, então só estaremos construindo pra trazer mais desesperança, incredulidade total.O povo precisa ver que há vozes discordantes e outro evangelho – O Verdadeiro Evangelho, da Graça - mas não que não há nada, alternativa ao DITO que se vê nestas lojas, ou NADA.

Dentro desta ótica, expor a Beleza do Cristianismo Bíblico é a meta. Com alegria e humor, pois assim é nosso Salvador. Sem hipocrisia e falso pietismo. E sendo necessário, vassoura na heresia!