681818171876702
Loading...

Polêmica entre Líder assembleiano e Nicodemus Lopes: Apenas mais um mosquito no enxame de incoerências da CGADB.





Volta e meia vemos romper uma fibra de tensão entre  lideranças da teológica pentecostal e reformada. É como uma corda de violino que se parte durante um concerto musical habitualmente harmônico entre as duas visões dominantes da Igreja Evangélica brasileira.

Fugindo totalmente das partituras, aqui e ali, melodias revelam a crescente influência e interesse da teologia calvinista entre os pentecostais. E como as cifras são diferentes, não é raro que se perceba um desafino, uma nota estranha nas declarações públicas de teólogos calvinistas e pentecostais.


TULIP quem?


E não pense o leitor que estamos tratando das pendengas ancestrais entre sinergistas e monergistas. Antes fosse! Há controvérsias mais quentes na praça. Já vi pastor assembleiano elogiar propostas que vão totalmente de encontro aos pilares da teologia pentecostal e também já testemunhei pastor calvinista ser convidado a pregar em uma Assembleia de Deus e lá lançar os pilares de sua  teologia reformada para uma platéia em parte incrédula, em parte abismada e, por que não dizer, sem o temor de ofender alguém, diante de uma audiência, em sua maioria, totalmente alheia à tudo, culpa, óbvia, da completa  ignorância dos fundamentos de sua própria confissão de fé. 

Ontem vi este post (reproduzido na imagem acima) na time line do Pastor pentecostal Altair Germano no Facebook. 

Escreveu o pastor acerca da imagem de um evento de lançamento de livro do Rev. Augustus Nicodemus Lopes em uma livraria denominacional das Assembleias de Deus :



Incoerência Institucional

Se não tomarem uma providência junto a CPAD, teremos em breve calvinistas comentando lição bíblica sobre a doutrina da salvação.

Aguardo ainda o posicionamento da Mesa Diretora da CGADB, e dos conselhos de doutrina e apologética sobre este caso público.

Mantenho minha indignação, e lamento pelo silêncio conveniente de muitos.




É bom que se frise que o pastor Altair Germano não é qualquer internauta dando pitaco sobre assuntos variados. Germano é uma das referências em teologia pentecostal no Brasil, líder de primeira ordem na chancela de material de formação bíblica dos assembleianos e Vice-Presidente do Conselho de Educação e Cultura da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

Germano não escondeu o enorme desconforto com a frase de Augustus Nicodemus Lopes:

"Quem sabe os pentecostais não estejam predestinados a avançar bastante a teologia da Reforma no Brasil?"

Petulante condescendência aos pentecostais (nossos primos fracos na fé)? Arrogância teológica? Entre os líderes assembleianos, há quem interprete da pior maneira o que foi dito por Nicodemus Lopes. 

Pastor Altair Germano
Estaria exagerando o pastor Germano? Estaria errado em seu desconforto?

Eu, Danilo Fernandes, como presbiteriano e admirador do pastor Nicodemus Lopes e do Pastor Altair Germano, diria que não há nada demais no evento. Trata-se apenas um lançamento de uma obra (de outra editora) na livraria da editora da denominação (CPAD). Se fosse o contrário, um autor pentecostal lançando um livro em uma livraria reformada, até estranharia o fato, mas não o julgaria com tanta severidade. São coisas do negócio literário. Não qualificaria o eventual lançamento como incidente institucional grave. E saiba, não nego, tenho lá o meu orgulho denominacional avantajado demais para um cristão coerente. Contudo, entendo o ponto-de-vista do companheiro blogueiro Altair Germano, pois sei que por trás deste angu tem muito mais caroço!

Incoerência MESMO é a CPAD, a editora das Assembléias de Deus  investir na publicação e na promoção de obras de  John McArthur, não apenas um reformado, mas um ferrenho cessacionista. Eis ai um camelo que passou ao largo do post de Germano, enquanto o mosquito do lançamento de Nicodemus ficou preso no coador!

Teologicamente, John MacArthur é um batista conservador, mas com fortes influencias calvinistas e um dispensacionalista convicto (uma evidencia de grande brecha na sua muralha teológica, risos.)

MacArthur não é dado a meias palavras, tanto que já comprou brigas homéricas com os pentecostais do mundo inteiro, razão pela qual estranhei muito ver um livro de sua autoria no catálogo da CPAD. 

O ministro MacArthur sempre foi muito crítico dos moveres pentecostais. Em 2013, causou comoção no meio cristão pentecostal ao realizar em sua comunidade (Grace Community Church en Sun Valley, California) a conferência “Strange Fire” (“Fogo Estranho”), e que rendeu livro, DVDs e muita polemica entre os pentecostais. Alguns meses depois afirmou, sem meias palavras, que o pentecostalismo é pura heresia. Imaginem a balbúrdia que causou! Sabemos que muitos protestantes históricos pensam a mesmíssima coisa, mas é raro encontrar alguém com mais evidência e influencia que tenha coragem de dizer o que pensa em alto e bom som.

Assembleianos estão se reformando? 

Há um certo exagero nesta frase tão comum entre o meio dos reformados e alhures. Mas há um foco de transmissão no mercado editorial muito mais profícuo de conteúdo reformado de qualidade do que pentecostal. Da mesma forma, na blogosfera cristã, os blogs mais influentes são claramente de linha reformada. Isto é inegável. 

E, já que estamos falando de mosquitos, não há tela no mercado que separe os assembleianos dos livros e eventos de reformados, do interesse pelo calvinismo e até dos seminários teológicos reformados. O próprio Altair Germano é Especialista em Educação Cristã pelo Seminário Presbiteriano do Norte. Então, tente dormir com esta zoada de muriçocas!

ATUALIZAÇÃO - 17h - 18-07-16

Acabo de ser informado que devido a pressões a CPAD cancelou o evento de lançamento do livro do Rev. Augusto Nicodemus Lopes nesta mesma data. O autor se deslocou de avião de sua cidade e já se encontrava  no Rio de Janeiro à caminho do evento. Que papelão da CPAD!



Observação:

O aviso acima foi redigido pela própria CPAD e divulgado em suas redes sociais. Evidentemente, deve a editora, não apenas buscar palestras de bons teólogos, mas estender o perfil de interesses e fazer um convite ao professor Pasquale Neto (de português). Isto não lhe faria mal. A forma correta de escrita da palavra é suspensão. Refere-se à interrupção prolongada ou uma pausa breve, sendo sinônimo de adiamento, cancelamento, interrupção, intervalo, descanso e pausa. 

Danilo Fernandes para o Genizah


Teologia 5990520427609285500

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail