681818171876702
Loading...

Igrejas pobres são Xexelentas


Avelar Junior



"...o Deus ki eu sirvo pelo menos naum se importa com 3 mais com uma ki o deseja de verdade soh pra começar intaum larga de dar ataque di fariseu.....vai se converter.....o meu Deus tbm num vendi rifa, mais a obra do Senhor necessita de dinheiro ou vc se mantém do q?? d ar?? mi ensina a fazer issu tbm pra economizar.......i mi disculpa se eu entro em uma igreja digamos pobre.....desconfortavel eu sou meia volta i saio, naum porcausa da pobreza mais pq se o meu Deus o meu Pai eh dono de ouro i prata pq q eu tenhu ki estar em um lugar ridiculo em qto os filhos de satanas estão sentados em lugares de honra?!!? "fla sériu meooooo acorda Deus tem pra vc os melhores frutos desta terra soh basta vc deixar de ser um fariseu religioso!! fikem na paz"

(Comentário enviado por um internauta, transcrição literal)



Observações sobre o pensamento acima:

1. Igrejas pobres são inaceitáveis porque, se Deus é soberano e é o Deus do ouro e da prata (possui todo o poder inclusive sobre os recursos da terra), ele tem obrigação de abençoar seus filhos fazendo-os ricos.

2. As igrejas pobres só demonstram que seus membros são “fariseus religiosos” não abençoados por Deus – não precisa nem dizer que nessa categoria de “amaldiçoados” se encontram todos os que pensam diferente desse autor, ou seja, os que não creem ou não vivem segundo a Teologia da Prosperidade (sistema que prega que Deus tem obrigação de dar-nos e abençoar-nos com os bens materiais que queremos, em abundância, desde que sacrifiquemos nossos recursos por ele e que sejamos fiéis).

3. Engraçado: NÓS é que temos que perdoar o autor dessa pérola por ser preconceituoso contra igrejas pobres. Está tudo maravilha em fazer acepção de pessoas com Deus -- “Deus concorda com ele”.

4. Pergunto-me quem são os “filhos de Satanás” no pensamento dessa pessoa porque, se ele já trata com tamanho desprezo as reuniões de irmãos pobres...

5. Ia me esquecendo que tem a parte espiritual do texto: "A paz!" :)~


Não precisa ser um experto para saber que esse pensamento nada expressa do evangelho e da pessoa de Deus. Pois Deus não faz acepção de pessoas, mas nós o fazemos, vez por outra, o que é condenável aos olhos dele.

Visto que todos somos imagem de Deus, todos somos dignos do mesmo respeito. A Bíblia manda-nos amar aos demais como a nós mesmos, dar nossas vidas pelos irmãos, agir com justiça e igualdade, então, devemos ter sempre em mente o interesse dos outros, ser servos uns dos outros; e a maior prova disso é que o próprio Deus se fez homem, fez pobre, para salvar-nos. Ensinou-nos com seu exemplo como devemos agir e viver. Sendo Senhor de toda a terra, lavou os pés dos discípulos para mostrar-nos qual deve ser nossa atitude em relação ao próximo: servo de todos. Jesus sofreu por nossos pecados e morreu na cruz, e não fez distinção entre pessoas, recebendo-as independente das suas ideologias e classes sociais, convidando todos a arrepender-se dos pecados, deixar tudo e segui-lo.

Jesus ressuscitou para dar-nos uma nova vida, eterna e abundante. Mas a abundância de riquezas não expressa a vida que Deus nos dá. As riquezas, saúde e prosperidade decorrem do trabalho, do investimento e, sobretudo, da graça de Deus (graça é a generosidade de Deus, o favor de Deus: é quando Deus lhe dá algo independentemente de você merecer isto), que vem sobre crentes e incrédulos como a luz do sol, que Deus faz brilhar para todos sem distinção, conforme sua vontade (Mt 5.45).

Servir a Deus não é nem nunca foi condição para prosperidade financeira. Tampouco servir a Deus garante que você nunca vá passar por problemas. Veja a vida de Cristo e dos apóstolos: perseguidos, humilhados, condenados a prisões e sevícias, passaram aflições, alguns adoeceram, sofreram acidentes, outros foram executados e torturados por sua fé, e nem sempre foram livrados apesar de sua fidelidade...

Aprendamos com o exemplo de Jesus, que nos advirtiu de que no mundo teríamos aflições (Jo 16.33), que seríamos perseguidos e mortos por seu nome (Jo 16.2), que orássemos para não cairmos em tentações, que trabalhássemos enquanto é dia porque não sabemos quando ele voltará, que carregássemos sua cruz, que fôssemos corajosos. Enfim, devemos pagar o preço de sermos discípulos de Jesus e ficarmos gratos com as aflições que tivermos de suportar, (Tg 1.2) pois elas nos identificam com Cristo e são usadas por Deus para aperfeiçoar o nosso caráter.

Jesus Cristo não nos prometeu sombra, água fresca e uvas descascadas na boca – muito pelo contrário! (Jo 16.2, 33). Mas ele prometeu que estará conosco em cada momento para sempre (Mt 28.20). Quer servir Jesus Cristo para ser próspero em tudo? Não sirva. Não se engane com falsas promessas! Se quiser servi-lo, prepare-se para renunciar qualquer coisa e ganhar a maior de todas: o amor e a paz do melhor amigo, eternamente. Quanto ao resto, confie em Deus e trabalhe.





Capa 4634558427325534820

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail