681818171876702
Loading...

A Função da Lei


Por Pastor Edmilson

Muitos cristãos sabem que estamos debaixo da graça e que a dispensação da lei acabou. Mas, surge a pergunta: não há qualquer lei que o cristão tenha que guardar? E, se tem, com que propósito?

A lei foi dada por Deus aos filhos de Israel aos pés do monte Sinai. Sua finalidade era servir de termômetro a fim de mostrar que o homem estava enfermo pelo pecado. Desde a queda de Adão, o homem é pecador por constituição, ou seja, o pecado faz parte de seu ser. Quando falamos “o pecado”, estamos nos referindo àquela força que habita dentro do homem que o atrai a prática de atos pecaminosos. Sabemos que não é necessário o homem fazer força para pecar, pois, já existe dentro dele uma força que o atrai ao pecado. É bom que você leia todo o capítulo 7 de Romanos com atenção. Neste texto Paulo chama esta força de “lei do pecado e da morte”. É chamada de lei porque se trata de uma verdadeira regra dentro do ser humano; ninguém precisa ensinar o homem a pecar, pois ele já nasce sabendo. Paulo fala sobre o momento em que Deus deu sua lei ao povo de Israel, e o que isso provocou. Antes da lei vir, o homem já tinha o pecado dentro de si, mas ele não sabia disso. A lei veio para expor ao homem o que estava dentro dele. O pecado jazia adormecido dentro do homem até o momento em que o homem recebeu a lei e tentou guardá-la. A cobiça já estava dentro do homem, porém quando Deus deu sua lei e mandou que o homem não cobiçasse e este tentou não cobiçar, não somente ele não conseguiu não cobiçar, como também passou a ter consciência desta cobiça que estava dentro dele. Quanto mais o homem tentava não cobiçar, mais ele cobiçava. Era justamente este o propósito da lei, fazer com que o homem tentasse cumpri-la e, ao não conseguir, descobrir que há uma força dentro dele que o impossibilita viver uma vida conforme as exigências da lei. Através da lei, o homem deveria chegar ao estado que Paulo chegou e clamar: “miserável homem que sou! quem me livrará do corpo desta morte?”

É claro que não foi a lei que produziu o pecado dentro do homem. Ela simplesmente mostrou que o pecado estava lá. É como John Bunyan mostrou em sua alegoria, O Peregrino, quando Cristão chega numa casa toda empoeirada e o interprete lhe diz que aquela casa era o coração do homem e a poeira era o pecado. De repente entrou na casa uma mulher com uma vassoura para varre-la; a nuvem de poeira que se levantou foi tão grande que quase sufocou Cristão. Intérprete explicou a Cristão que aquela mulher com a vassoura na mão era a lei. A mulher com a vassoura não produziu a poeira, ela somente tornou evidente que a poeira estava lá.

E qual o benefício que isso traria ao homem? O conhecimento de que há uma força dentro de nós que nos impossibilita vivermos da forma como Deus quer nos levará a buscar o socorro de Deus e ver que somente a graça de Deus em nós é que nos possibilita vivermos a altura de suas exigências. Para que o homem procure a cura é necessário que primeiramente ele saiba que está doente.

A lei mostrou que o homem está doente e o preparou para receber o remédio de Deus que é sua graça através da obra do Senhor Jesus na cruz. Tivesse o Senhor Jesus realizado sua obra de salvação antes de Deus dar sua lei, o homem iria julgar-se capaz de salvar-se a si mesmo. A lei mostrou que a salvação teria que vir de Deus, pois o pecado impossibilitava o acesso do homem a Deus. A lei foi o termômetro que mostrou que o homem estava com a febre do pecado, para que ele pudesse buscar a cura.


"Porém agora estamos livres da lei porque já morremos para aquilo que nos mantinha prisioneiros. Por isso somos livres para servir a Deus não da maneira antiga, obedecendo à lei escrita, mas da maneira nova, obedecendo ao Espírito de Deus. O que vamos dizer então? Que a própria lei é pecado? É claro que não! Mas foi a lei que me fez saber o que é pecado. Pois eu não saberia o que é a cobiça se a lei não tivesse dito: "Não cobice”. Porém o pecado se aproveitou dessa lei para despertar em mim todo tipo de cobiça. Porque, se não existe a lei, o pecado é uma coisa morta. (Romanos 7.6-8) "


***
Fonte: Reflexões
Teologia 3015370536708989034

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail