681818171876702
Loading...

A Bíblia é uma lenda primitiva e infantil, diz carta de Einstein sobre Deus leiloada pela internet


Conhecida como "Carta de Deus", a correspondência revela pensamentos íntimos do cientista sobre religião, Deus e o povo de Israel.


Uma carta manuscrita pelo físico Albert Einstein um ano antes da sua morte, na qual ele expressava suas opiniões sobre a religião, será vendida neste mês no eBay com um lance inicial de US$ 3 milhões, disse um leiloeiro nesta terça-feira(09).

"Essa carta, na minha opinião, é realmente de significado histórico e cultural, já que são pensamentos pessoais e privados daquele que é provavelmente o homem mais inteligente do século 20", disse Eric Gazin, presidente da agência de leilões Auction Cause, de Los Angeles, que fará a venda no eBay.

Einstein x Deus e as religiões

A carta era uma resposta do físico ao livro de Gutkind “Choose Life: The Biblical Call to Revolt” (“Escolha a Vida: A Chamada Bíblica à Revolta”), no qual o filósofo sustentava a ideia de que os judeus eram um povo de “alma incorruptível”. “A alma do povo judeu nunca foi uma alma de massas. A alma de Israel não poderia ser hipnotizada; nunca sucumbiu a ataques hipnóticos (…). A alma de Israel é incorruptível”, escreveu.

Einstein não concordava: “Para mim, a religião judaica é, da mesma forma que todas as outras, uma incarnação das superstições mais infantis. E o povo judeu, ao qual eu pertenço com boa vontade, e que tem uma mentalidade com a qual tenho uma afinidade profunda, não tem, para mim, uma qualidade que o difere de qualquer outro povo. Até onde minha experiência vai, ele também não é melhor que outros grupos humanos, embora esteja protegido dos piores cânceres por falta de poder. Fora isso, não consigo ver nada de ‘escolhido’ sobre ele”.

No final de sua vida, Einstein se mostrou contrário às religiões. Mas ele acreditava em Deus? Não exatamente, como se lê em uma carta escrita em 24 de março daquele mesmo ano: “Foi, é claro, uma mentira o que você leu sobre minhas convicções religiosas, uma mentira que foi repetida de forma sistemática. Eu não acredito em um Deus pessoal, nunca neguei isso, mas expressei de forma clara. Se algo em mim pode ser chamado de religioso, é minha ilimitada admiração pela estrutura do mundo que nossa ciência é capaz de revelar”.

"A palavra de Deus é para mim nada além do que a expressão e produto da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas honradas, mas ainda primitivas, que são, não obstante, bastante infantis. Nenhuma interpretação, não importa quão sutil, pode (para mim) mudar isso", escreveu o cientista de origem alemã, ganhador do Nobel de Física de 1921.


Com informações Reuters/Hypescience







 

religião 6598355696416340743

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail