681818171876702
Loading...

PEDIDO DE AJUDA DE UMA EVANGÉLICA CONFUSA


Queridos irmãos,


Eu gostava muito das imagens. Tinha muitas em minha casa, imagens de vários santos, mas tinha também uma estatueta de Buda, em quem também depositava alguma fé pelo que ele representou à religião budista. Foi meu filho que me deu, e me explicou algumas coisas sobre este tal de budismo. Achei muito bonito, e fiquei com o pequeno Buda. Entretanto, alguns crentes me disseram que estas imagens era idolatria. Um dia, eles vieram na minha casa e citaram para mim o texto de Êxodo 20:3-5 que diz “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas, nem as servirás: porque eu, o Senhor, teu Deus, sou Deus zeloso...”, e por causa disso compreendi que era pecado. Quebrei todas, joguei-as no lixo. Converti-me à fé evangélica, e hoje sou feliz em minha Igreja.

Mas o processo de santificação é um processo lento. Tive muito, mas muito mesmo, trabalho para me desvencilhar dos discos que tinha, já que eu gosto muito de música. Tinha coleções inteiras de alguns artistas que eu gostava, como Roberto Carlos, Zezé de Camargo & Luciano, Luiz Gonzaga, Altemar Dutra e Nelson Gonçalves. Guardava muitos discos de vinil antigos (que foram do meu pai) e tinha diversos CDs. Mas os meus irmãos da Igreja foram fundamentais neste meu processo de libertação. Ajudaram-me muito, me aconselharam a não ouvir músicas do mundo. Um dia, meu pastor me fez uma visita e em tom amável me aconselhou a me desfazer destes discos. Mostrou-me na Escritura que eu não devo gostar deste tipo de música, até porque existem músicas cristãs, que foram feitas exclusivamente para adorar a Deus. Mostrou-me na Bíblia: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque, tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo; E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1 Jo 2:15-17). Para mim ficou claro! Mesmo sem entender direito o que significa essa tal de "concupiscência", juntei forças e me desfiz de todos aqueles discos. Não foi fácil. Mas me desfiz de tudo. Não dei a ninguém, pois o que não serve pra gente também não serve para as outras pessoas! Quebrei tudo, e joguei fora. Foi uma manhã inteira nesta tarefa, mas me libertei.

Como vocês podem ver, os irmãos da Igreja foram importantíssimos por abrirem meus olhos. Se eles não me mostrassem na Bíblia estas verdades, eu continuaria imersa nestes pecados! E no meu caso, tudo é mais difícil, pois não tive a oportunidade de aprender a ler. Mas os irmãos sempre leem para mim, e esclarecem as minhas dúvidas!

Mas estou intrigada! Ontem recebi a visita de uma pessoa que não parece ser crente, não! Tinha umas roupas estranhas, tinha tatuagens nos braços, tinha um piercing na orelha... Só abri a porta porque ele me saudou com a paz do Senhor. O problema é que ele abriu a Bíblia e veio me dizer que o sapateado que os irmãos fazem na Igreja e nos cultos aqui em casa não é bíblico! Não é possível!! Como, logo os irmãos, que com a Bíblia na mão, lendo para mim os textos que citei, me convenceram pela Bíblia que eu estava errada quando idolatrava santos e cantores! Eles leram a Bíblia para mim!! E disseram que a Bíblia deveria ser a minha regra de fé e prática!! Disseram que enquanto eu não seguir fielmente o que está escrito nela, estarei fazendo errado diante de Deus!! Não pode ser!!

Este “irmão” (que eu estou com sérias dúvidas se é crente mesmo!) abriu sua Bíblia e leu para mim um texto, que segundo ele está em 1 Co 14:26-33: “Que fareis, pois, irmãos? Quando vos juntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois, ou, quando muito, três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo e com Deus. E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam e todos sejam consolados. E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos”.

Ele passou o tempo todo falando em "ordem e decência". Perguntou-me se os "cultos de sapateado" (foi esta expressão que ele usou!) tinham alguma ordem, alguma decência. Fiquei calada. Não tive coragem de responder para não blasfemar contra o Espírito Santo, mas lembrei-me do culto da semana passada, quando a irmã Suellen caiu no poder e ficou com a saia levantada; foi preciso que as obreiras corressem e cobrissem suas pernas e suas partes com uma toalha...

E ele prosseguiu com a leitura... Terminou lendo três capítulos inteiros de 1 Coríntios, o 12, o 13 e o 14. Conversou muito, me fez perder quase a tarde toda com o converseiro dele, e no final orou por mim e foi embora, me deixando com a cabeça toda embaralhada e com a pulga atrás da orelha...

Confesso que fiquei muito confusa. Realmente, o meu pastor me disse que eu deveria acreditar na Bíblia, e seguir somente o que está escrito nela. Mas como pode ser?? Eu estou há quase um ano na Igreja, e nunca vi ninguém ler este texto lá. Pelo contrário, cada culto que eu vou, cada reunião de círculo de oração, cada vigília, acontece exatamente o contrário!! Aliás, é o céu na terra!! O fogo de Jeová incendeia a Igreja, os irmãos rodopiam, marcham, sapateiam... É uma glória...

Queria que vocês me ajudassem a esclarecer este problema. Afinal, este texto que este “irmão” aí leu pra mim é Bíblia mesmo? Ontem a noite mesmo, quando fui para a Igreja, eu contei o acontecido ao meu pastor, mas notei que ele desconversou. Disse que o Espírito Santo faz o que quer na Igreja! Disse que só quem entende essas coisas é quem já experimentou do poder. Disse que eu não devo dar ouvidos a uma pessoa que eu nem sei se é crente. Aliás, a irmã Zefinha, dirigente do círculo de oração, me disse que pelas roupas que ele vestia, pelas tatuagens e pelo piercing, com certeza crente ele não é!

Acho que a Bíblia que ele abriu e leu pra mim é aquela tal Bíblia das Testemunhas de Jeová, que o meu pastor disse que eu não deveria nem pegar nela!! O texto que ele leu não está na verdadeira Bíblia, não! Não pode ser! Se este texto fosse da Bíblia dos crentes, a verdadeira, era seguido também lá na minha Igreja! Afinal, foram eles mesmo que me ensinaram a obedecer a Bíblia, somente a Bíblia...

Por favor, me ajudem!

Irmã Lucinha



* estória fictícia, porém MUITO REAL. Nomes fictícios. Qualquer semelhança com fatos, acontecimentos, crentes, igrejas, pastores e doutrinas NÃO é mera coincidência!


Zilton Alencar  mandou a estória da irmã Lucinha para o Genizah




 
Apologética 844475948887977064

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail