681818171876702
Loading...

A cartilha que assustou pais evangélicos é denunciada como falsa pelo Ministério Público




TNH1 / UOL

Uma falsa cartilha sobre ideologia de gênero se espalhou via internet na capital alagoana causando estragos na revisão do Plano Municipal de Educação de Maceió, chegando a ser denunciada, nesta segunda-feira, ao Ministério Público Federal (MPF).

O debate sobre a falsa cartilha, que traz ilustrações e conselhos nada ortodoxos sobre educação sexual, alcançou a Assembleia Legislativa do Estado e até uma audiência pública na Câmara Municipal de Maceió, agendada para o próximo dia 19. Uma das "dicas" diz respeito a "coisas gostosas para se fazer acompanhado". Uma delas seria se masturbar e assistir a filmes eróticos, entre outras. 

Em diversas escolas da capital, grupos de pais trocam informações repudiando a cartilha, sem saber que se trata de uma falsificação. Alguns pais estão organizando abaixo-assinados para serem entregues ao Poder Legislativo repudiando a cartilha.

Hoje, representantes do Sindicato dos Professores e Trabalhadores da Educação em Alagoas (Sinteal), do  Instituto Feminista Jarede Viana, Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais e Pesqueiras, Associação Alagoana Pró-Mulher e Marcha Mundial das Mulheres estiveram no MPF para denúncia as informações truncadas que estariam interferindo na revisão do Plano Municipal de Educação.

Hoje o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) se manifestou sobre a polêmica, sugerindo que o Ministério da Educação se pronunciasse e que, mesmo que a cartilha fosse indicada pelo MEC jamais seria adotada na rede pública de Maceió.

"A verdade é que hoje, com as redes sociais, a internet, as coisas se espalham como rastilho de pólvora. Foram criadas cartilhas que não são as adotadas pelo Ministério da Educação e garanto a você que, mesmo que o material fosse determinado pelo Ministério e fosse com aquele nível, não iríamos adotá-lo em Maceió por entender que o material é absolutamente ofensivo. Você dizer não ao preconceito é uma coisa. Agora, ofender é outra completamente diferente",  declarou o prefeito.

"Cartilha é mentirosa"

A Secretária de Educação de Maceió se reuniu com vereadores e alertou que a cartiha é uma falsificação.

"A cartilha é falsa, é mentirosa e o Ministério Público tem que investigar. Não é oportuno se criar uma celeuma dessa na sociedade, um transtorno e ninguém fazer nada. Se joga o que quer nas redes sociais e ninguém faz nada? Tem que investigar, tem que punir", disse a secretária em entrevista ao TNH1.



A falsificação com exageros deste tipo de material sórdido só serve para atacar a credibilidade da defesa dos valores familiares que estão sendo, de fato,  submetidos a um desmantelamento ideológico por outros materiais, não tão evidentes como estes, mas não menos perniciosos.




Cultura 7652941205815890154

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail