681818171876702
Loading...

Silas Malafaia se compara ao papa no programa "Na Moral": "Eu sou presidente do conselho brasileiro de pastores". ASSISTA.





Ontem me propus a assistir o tal programa Na Moral do Pedro Bial com a participação de Silas Malafaia, Jô Soares, Silvio de Abreu, etc.

Eu confesso que já estou cansado desta discussão toda em torno dos gays e da dimensão exagerada que esta questão recebe por parte da mídia. Outro dia, conversando com um jornalista muito conhecido de O Globo fui surpreendido com um "educated guess" deste profissional dando conta que 60% de todas as referências acerca de evangélicos em matérias jornalísticas dos cadernos de cultura e comportamento (incluso ai religião, espiritualidade, etc.) fazem referencia a questão gay. Se ampliarmos o assunto para as questões morais (virgindade, casamento, consumo de bebidas, etc.), chega-se fácil aos 80% do espaço disponível. É muito. É espaço demais dedicado à genitália alheia! Isto é uma traição à proclamação do Evangelho. É lamentável que tais oportunidades sejam desperdiçadas nestas questões que são, em última instância, de metanoia, consequência da proclamação do Evangelho genuíno!

Como perdemos tempo com uma questão que é da alçada do Espirito Santo!


Parênteses


Outro dia, participando de um evento de hipismo com um amigo, me vi rodeado de jovens que nunca tiveram contato com o Evangelho. Jovens nascidos em berço de ouro, que tiveram acesso a todas as oportunidades culturais possíveis. Um destes jovens, uma jovem, na verdade, me conhecia, era irmã mais nova do meu amigo e é só. Para os demais, eu era um desconhecido. Sentados numa pracinha perto das cocheiras os jovens conversavam e eu, o tiozinho orgulhoso, escovava o cavalo do meu amigo, o qual conheci potrinho,  e que havia zerado lindamente o percurso havia uns minutos. Lá pelas tantas, alguém propôs acender um cigarro de maconha, ao que a irmã do meu amigo abortou a idéia denunciando: - Ih sujou, Danilo é evangélico. Avançando a fita dos acontecimentos, tomei um belo susto com a percepção que estes jovens tinham acerca do que é ser evangélico. Basicamente, entendimento geral é que o crente é aquele que: (1) Acredita que existe um Deus; (2) Existe uma proposta de vida eterna; e (3) esta vida paradisíaca eterna (ou o inferno eterno, como alternativa) é conquistado nesta vida através de uma troca, na qual, quem deseja uma vida paradisíaca no Porvir, deverá adotar hoje uma vida chata com privações nas áreas sexual, comportamental e na abstenção do consumo de bebidas, drogas e domingos de praia. Ou seja, Deus nos propunha um tipo de troca onde a Sua parte era paga em outra vida... Para a maioria dos presentes, diante de seu estilo de vida abastado esta parecia uma opção fora de questão, somente pendendo para o razoável, a partir dos 65 anos de idade com a antevisão da morte.... Decidi pregar o Evangelho para estes meninos, enquanto eles fumavam o seu baseado. O Senhor foi glorificado! Acho que um ou dois destes moços irão visitar a IP da Barra por estes dias. 

De toda forma, fiquei a pensar que todo este esforço de comunicação dos evangélicos não parece estar surgindo muito efeito. A mensagem está chegando bem truncada, não é mesmo? ]

Voltando ao Evangelho distorcido... 


Eu penso que toda esta ênfase no enfrentamento moral perpetrado pelos evangélicos é apenas mais um sintoma de uma mazela terrível acometendo a igreja evangélica hoje. A mesma proporção de desvio de propósito se observa em nossos próprios cultos. Cada vez mais, o tempo devido à adoração do nosso Senhor Deus é usurpado pelo culto antropocêntrico. Cristo deixou de ser o centro dos nossos encontros e as nossas preocupações se dividem entre as banalidades das atividades da comunidade e as demandas dos fiéis por bençãos e milagres financeiros. É rara, raríssima, a oportunidade de testemunhar uma pregação expositiva autêntica, marcada por autoridade (firmada na autoridade da Escrituras), recebida com reverência por um rebanho arrependido e na centralidade de um evento, no qual, a palavra viva de Deus fala com seu povo. 

Estamos afundados por trivialidades e distraídos por satanás...

Voltando ao programa "Na Moral"


Eu sei que a maioria dos que lerão este artigo irão louvar a defesa da moral conservadora feita por Silas Malafaia e, por esta razão estarão dispostos a perdoar-lhe, por hora, de toda a truculência intelectual e verbal nas suas exposições... Aos que pensam assim, refastelem-se! Eu mesmo, contudo, lamento que a nossa cosmovisão se faça representar tão mal assim na grande mídia...

Hoje entendo que há mesmo uma conspiração em curso para que as coisas sejam assim e a grande mídia sempre busque favorecer os tipos evangélicos pitorescos, heterodoxos, patéticos, mesmo. Gente como Sarah Sheva, Malafaia, o pastor maluco-beleza da bíblia com palavrão, o missionário que entrevista demônios, o pastor moderninho da igreja boate, o pastor stand-up, o cantor co-autor de "bíblia" e tantos outros artistas do circo gospel. Aquele meu amigo, jornalista famoso, confirma a minha suspeita e afirma  que a orientação das editorias dos noticiosos é esta mesma: o interesse da notícia está no comportamento tido por bizarro, polêmico, na opinião percebida pela maioria como preconceituosa e reacionária e na proposição patética, de preferência. Não interessa à mídia dar espaço a um evangélico sério, intelectual, culto, cordial, articulado, etc. Ficamos nós, os crentes que não pastam, fadados a assistir à figuras boçais e histriônicas como o Silas Malafaia, que faz citações filosóficas "de orelhada" e apresenta um discurso absolutamente desprovido dos mais básicos recursos intelectuais, nos representando porcamente em matérias e programas da grande mídia. Malafaia prega um falso Evangelho, que jamais subverterá o mundo e será sempre um telhado de vidro reluzente. A grande mídia não quer dar espaço ao Evangelho Subversivo de Jesus. Isto é muito perigoso!


Para tudo!


Neste espírito, fui assistindo ao programa quando, em certo ponto, já envergonhado na poltrona, testemunho o Silas Malafaia fazer a seguinte pergunta retórica aos participantes do debate, quando a assunto proposto foi a existência, ou não, de "pastores gays" no nosso meio. Malafaia disse que isto não existia, pois estes eram excluídos e continuou:

Existe igreja católica das prostitutas? Não. Não existe. Quem que define? O papa. A liderança da Igreja Católica. Eu sou presidente do Conselho de Pastores do Brasil e..."

-Para a droga deste ônibus que eu quero descer!

- Como é? Malafaia está se arvorando líder dos evangélicos?

Sim. Estava. Pode ter sido um ato falho, uma comparação infeliz, mas assim os não-evangélicos na audiência o entenderam. Ele comparou a sua posição à do papa. Fez isto na TV Globo diante de milhões de telespectadores, testemunhas na sua vaidade incontrolável. Confira a partir do minuto 18:30, para entender o contexto, caso não queira assistir a todo o programa.

Eu não sei que meleca é esta convenção nacional de pastores, quem são os convencionais e nem quantos são, mas digo a vocês com firmeza: Se um dia tivermos na igreja evangélica uma entidade propondo representar a Igreja e que pretenda dar a seu líder o poder de ensino e autoridade ex cathedra, eu me mudo  para a Igreja Católica Apostólica Romana neste mesmo dia! Em outras palavras, entre o que se apresenta por aqui, fico com Francisco e a gravità milenar da ICAR, sem pestanejar! Antes, porém, sugiro uma petição, um abaixo assinado a ser enviado às principais redações do país. Um tipo de desagravo, exigindo respeito a nossa história: Senhores jornalistas, queiram fazer o seu "dever de casa" e procurar entender quem são os protestantes. Entendam o básico da nossa eclesiologia! Se vocês se dispuserem, organizamos um curso rápido. Parem de se referir a nós como o povo único que idolatra o dinheiro, que não gosta de gays, não faz sexo, não bebe e dedica a sua vida a nobre função de fiscalizar a genitália alheia! Tenham dó!

Meus amigos, eu não sei vocês, mas eu sou da religião protestante, na qual, só quem #ME_REPRESENTA , me defende, intercede por mim e me ama de verdade é Jesus Cristo. O resto é homem e quem confia em homem sempre se arrepende!








Capa 8200327735854867500

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail