681818171876702
Loading...

Os sem senso e os com senso


Eduardo Rosa

Diz o insensato no seu coração; não há Deus” Sl 14:1

Vivemos em um país no qual o prefixo sem se tornou muito conhecido. Temos os sem-terra, os sem-teto, os sem-carro, os sem-educação, os sem-justiça, os sem-celular, os sem-comida, os sem-vergonha, os sem-escrúpulos... 

A bíblia fala de um outro grupo de sem: os sem senso, ou in-sensatos, os sem juízo.

O in-sensato, biblicamente falando, não é sinônimo de débil mental. O insensato não é  um louco no sentido em que conhecemos hoje. O insensato pode ser alguém muito inteligente, com uma sólida formação acadêmica, diplomas espalhados por toda parede, pode ser alguém famoso, até mesmo um formador de opinião. O insensato não é alguém que não estudou e nem sabe falar uma outra língua. Insensato não é sinônimo de pobreza economica-social e cultural. Na bíblia, insensatez é o mesmo que pobreza espiritual. Não se trata de razão, mas de fé.

O sem-senso é aquele que diz no seu coração: “Não há Deus”. O in-sensato é aquele que mata Deus no fundo do seu coração, que faz da sua alma um túmulo de Deus. Então são os ateus que são insensatos? Não somente. Podemos ser o mais crentes de todos os homens e mulheres e ainda assim em alguns momentos agirmos como se Deus não existisse. Sabe qual é a principal diferença de um ateu, um incrédulo e um crente incrédulo? O ateu diz com a boca que Deus não existe. O incrédulo não diz com os lábios, mas desconfia com o coração de que Deus, apesar de não existir para ele, é capaz de fazer isto ou aquilo. O crente incrédulo é aquele que afirma Deus com os lábios e na vida prática age como se ele não existisse. No fundo ateísmo e  incredulidade tem raiz na indiferença. Todas as vezes que somos indiferentes a Deus, a sua pessoa, a sua ação, a sua palavra, estamos sendo ateus ou incrédulos em alguma medida, ainda que nos achemos o mais crente de todos os seres humanos.

Tentar matar Deus é cometer suicídio espiritual. Abandonar a fé em Deus, é como cortar o cordão umbilical que nos liga ao único ser capaz de realmente alimentar nossa alma. Agir pelas nossas próprias forças, estribados no nosso próprio entendimento, embassados na nossa visão, no nosso conhecimento, é dizer no fundo do coração: não há Deus, pois, na prática, o que existe para mim sou eu e minha capacidade.

Na ingênua idéia de não querer incomodar Deus com coisas pequenas e achar que temos nós mesmos de cuidar delas, somente pedindo a Deus coisas realmente importantes, é também uma outra maneira de dizer: não há Deus, pois se eu tomo conta das coisas pequenas, então Deus não existe para elas. Deus é o Deus das grandes decisões e das pequenas escolhas. Ele é o Senhor de toda grandeza e o dono de todas as partículas. Ele está interessado em tudo na minha vida, daquilo que eu julgo como sendo mais importante e daquilo que acho ser pequeno demais. Quando se trata de mim e de você, nada é tão pequeno que Deus possa não estar interessado. 

Hoje é o dia criado por ele para que de novo encontremos o senso perdido.. Que Deus derrame sobre nós uma imensidão de fé, para que possamos fazer parte do grupo dos com-senso, os justos, pois que estes vivem pela fé.


EDUARDO ROSA PEDREIRA é pastor da Comunidade Presbiteriana da Barra da Tijuca e professor da Fundação Getúlio Vargas.  Em Amai-vos Divulgação Genizah




religião 6806739279614626621

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail