681818171876702
Loading...

China quer criar teologia cristã comunista




Chineses não são tão espertos quanto os japoneses. Com tanta heresia por ai, ao invés de criar uma nova, eles bem poderiam escolher alguma e miniaturizar, como fariam os japoneses! Risos! 

Mas sério, os chineses não precisam se dar ao trabalho. Já existe uma teologia que tenta misturar comunismo e cristianismo e esta se chama Teologia da Libertação. Não precisa inventar nada. Basta colocar o ex-padre vermelho Boff num avião, junto com alguns de seus colegas e mais uns evangélicos da mesma laia e partir pra Pequim.

O lamento fica por conta da sombra que se coloca sobre o grande avivamento   chinês. Já se sabe da penetração de muitas heresias ao estilo G12, por lá. 

Se influencia do estado chinês se der na direção proposta no artigo abaixo, foi-se o bebê...






A noticia é do AFP via - YAHOO!

China quer criar sua própria teologia cristã

A China quer criar sua própria teologia cristã, compatível com a cultura chinesa e o socialismo, informou nesta quinta-feira um jornal estatal, coincidindo com as tensões crescentes no país entre as comunidades cristãs e as autoridades.

"A construção da teologia cristã chinesa tem que se adaptar às condições nacionais e integrar a cultura chinesa", explicou Wang Zuo'an, líder da Administração de Estado para os Assuntos Religiosos, citado pelo jornal China Daily.

Esta teologia ao estilo chinês "tem que ser compatível com o caminho em direção ao socialismo" do Partido Comunista, indicou este funcionário.

A China conta com entre 23 e 40 milhões de cristãos protestantes, que representam entre 1,7% e 2,9% da população, segundo números divulgados em um seminário recente em Xangai e publicados nesta quinta-feira por vários meios de comunicação.

Cerca de 500.000 pessoas são batizadas todos os anos nas comunidades protestantes chinesas, declarou o China Daily.

"Nas últimas décadas, as Igrejas protestantes chinesas se desenvolveram muito rapidamente, com a adoção de políticas religiosas nacionais", comemorou Wang.

As práticas religiosas na China são muito controladas pelo Partido Comunista, oficialmente ateu, mas que teme a emergência de contrapoderes. Os adeptos de diferentes cultos reconhecidos só podem se reunir em locais devidamente aprovados.

As forças de segurança reprimem e dissolvem com frequência as igrejas não autorizadas, que prosperaram fora das organizações oficiais.

Inclusive igrejas reconhecidas sofrem às vezes a repressão do governo local: em abril, uma igreja protestante em Wenzhou (leste) foi destruída por ordem das autoridades, provocando grande comoção entre os fiéis.

Nesta cidade conhecida tanto pelo dinamismo de seus empresários quanto por sua importante comunidade cristã, a prefeitura considerou que o edifício, administrado por uma associação, era uma construção ilegal de dimensões excessivas.

Os números divulgados nesta quinta-feira pelo China Daily não incluem os católicos, que só podem se reunir em igrejas certificadas e vigiadas dentro de paróquias que rejeitam a autoridade do Vaticano e do Papa.

Paralelamente foi constituída uma Igreja católica clandestina, leal à Santa Sé.

Os especialistas estimam que a China conta com ao menos 12 milhões de católicos, divididos entre as duas Igrejas.

Segundo números de 2013, 65 milhões de exemplares da Bíblia haviam sido impressos no total na China, incluindo edições nos idiomas das minorias étnicas.



Notícias 7362874859631217639

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail