681818171876702
Loading...

Pedófilos: Pastor ungido pega 78 anos de cadeia junto com sua amante missionária

Segundo o Ministério Público, o pastor era conhecido pelo apelido de Ungido e estava fundando uma Igreja Pentecostal

Reginaldo Sena, conhecido como Ungido será transferido para um presídio no Rio


O pastor Reginaldo Sena dos Santos, de 59 anos, foi condenado recentemente a 78 anos de prisão por ter abusado sexualmente de 14 meninas que frequentavam sua igreja e a casa dele, no bairro Retiro, em Volta Redonda. As vítimas tinham idades entre 8 e 15 anos.

O pastor foi sentenciado pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Volta Redonda (RJ), Cláudio Gonçalves Alves. O mesmo juiz também condenou a 16 anos de prisão, em regime fechado, a missionária Maria de Fátima Costa da Silva, de 58 anos. Ela foi responsabilizada por dopar e preparar as vítimas para serem abusadas pelo pastor.

O juiz justificou a sentença alegando que Reginaldo e Maria de Fátima se aproveitaram da autoridade que mantinham sobre as crianças e das condições de pastor e missionária da igreja.

Os dois foram presos no dia 4 de fevereiro de 2012. Na época, a polícia apurou que o pastor e a missionária eram amantes e que uma das vítimas era a própria neta de Maria de Fátima. Eles foram condenados pelos crimes de pedofilia, estupro de vulnerável e formação de quadrilha. As penas foram agravadas porque a maioria das vítimas era menor de 14 anos.

Missionária Maria de Fátima Costa da Silva facilitava o abuso e agia junto com Ungido

A advogada da missionária, Irani Martins, disse que vai recorrer da sentença no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Ela alega que o juiz não analisou as provas colhidas pela defesa que foram anexadas ao processo. 

- O juiz analisou apenas as provas da acusação (Ministério Público) - disse. 
Reginaldo que estava preso na Casa de Custódia de Volta Redonda será transferido para um presídio do Rio. O mesmo vai ocorrer com a missionária que está presa na Casa de Custódia do Complexo Penitenciário de Gericinó, na capital fluminense. 

Segundo o Ministério Público, o pastor, que era conhecido pelo apelido de Ungido e estava fundando uma Igreja Pentecostal, tinha a confiança dos adultos do bairro onde morava, que deixavam seus filhos sob os cuidados dele para terem aulas de religião e música. As crianças também ganhavam doces do pastor. A denúncia do MP também confirmava que missionária Maria de Fátima mantinha um relacionamento amoroso com o pastor e o auxiliava na prática dos abusos. Na época, as vítimas confirmaram que eram abusadas, acariciadas e beijadas por Ungido.

A PM, depois de receber uma denúncia anônima chegou a casa do pastor, no bairro Açude, onde encontraram calcinhas, pomadas para serem aplicadas no órgão genital feminino, lubrificantes íntimos e duas seringas. Ainda foram encontrados dois preservativos contendo esperma, nove pen drives, três HDs, sacos de biscoito, material escolar e refrigerantes, que segunda a Justiça eram oferecidos as crianças. No momento da ação Reginaldo teria tentado se livrar do material apreendido, chegando a jogar alguns deles dentro do vaso sanitário.

Com a sentença, o pastor sairá da Casa de Custódia na cidade e será encaminhado para um presídio na capital. Isso acontecerá também a com a missionária.


Com informações Diário do Vale/A Voz da Cidade





 

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail