681818171876702
Loading...

Cultura Evangélica poderá integrar patrimônio cultural imaterial

A vereadora Carla Pimentel (PSC) apresentou proposição que pretende declarar a “Cultura Evangélica” como Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Curitiba. Trata-se de um substitutivo geral ao projeto da mesma vereadora que propunha enquadramento semelhante para o “culto evangélico”. A nova proposição toma o lugar da anterior, que agora será anexada ao substitutivo.
Segundo o texto do novo projeto, o objetivo da adequação é ampliar a abrangência da norma, declarando que toda a chamada “Cultura Evangélica” passaria a pertencer ao Patrimônio Imaterial Cultural de Curitiba, e não somente o “Culto Evangélico”, como era o objetivo do projeto original. A nova proposição engloba todas as denominações evangélicas (tradicionais, pentecostais e neo-pentecostais) e inclui suas liturgias e músicas ao rol de bens imateriais pertencentes ao patrimônio cultural da cidade.
A vereadora entende que o aumento de seguidores de religiões evangélicas no Brasil demonstrado pelo Censo Demográfico de 2010 justifica a inclusão da Cultura Evangélica ao Patrimônio Cultural de Curitiba. “Em 30 anos, no âmbito nacional, o percentual de evangélicos passou de 6,6% para 22,2%, um aumento de cerca de 16 milhões de pessoas (de 26,2 milhões para 42,3 milhões)”, enfatizou Carla. No entendimento da parlamentar, “a cultura evangélica está difundida e consolidada em Curitiba, e merece ser celebrada como uma parte integrante do cenário cultural da cidade”.
Enquanto isso, do outro lado, no Piauí
O vereador Cabelo duro (PSB) quer instituir em Luís Correia (PI) o Dia dos Evangélicos. De acordo com a proposta, o dia passaria a integrar o calendário oficial do município e seria iniciado no dia 10 do mês de maio. “O Dia dos Evangélicos deverá constar no calendário oficial do Município”, diz o artigo 2º do Projeto.

O Membro da bancada evangélica da Câmara Municipal de Luís Correia, o vereador classifica como “trabalhos evangélicos” apresentações musicais e teatrais feiras de “literatura evangélica”, gincanas “desportivas e intelectuais” e outras manifestações “que não contraponham com os princípios cristãos evangélicos”. "A cultura evangélica é uma cultura de paz e de transformação de vidas. Pode ser pregada através da palavra. Em geral, somos mais de 20% da população", alegou o Vereador.

Cabelo Duro, de acordo com o Art. 4º do projeto autoriza que o Poder Executivo possa apoiar através de convênios igrejas evangélica em sua realização, divulgação, preservação da data.

Questionado se haveria repasse de dinheiro público para os eventos, o vereador respondeu. "Pode ter um investimento do poder público, mas o objetivo principal não é esse. Muitas pessoas não entendem isso, não compreendem que há (SIC) classe evangélica precisa ser vista", defendeu.



Com informações Bem Paraná (com Assessoria da Prefeitura de Curitiba) / Portal O Dia




 

Absurdário gospel 5917063147741510546

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail