681818171876702
Loading...

A farsa do dízimo

Acreditamos que todo crente é responsável pela manutenção da Obra, sustentando as congregações, os seus pastores e mestres, os missionários no campo e a promoção da justiça. 

Acreditamos que a pratica do dízimo, tal como apresentada no contexto da antiga aliança não encontra qualquer respaldo bíblico na nova aliança e a defesa desta doutrina, tanto mais baseada no medo do gafanhoto devorador, é mentirosa e vergonhosa, pois propõe  ao crente uma relação mesquinha  entre o seu  dinheiro e o compromisso com a Obra.

Na nova aliança, sob a Graça, não somos convidados a ser menos generosos do que os irmãos na antiga aliança, mas ao contrário! Nosso comprometimento é total. Consagramos tudo o que temos e somos à Glória de Deus e não estamos mais sujeitos ao peso da lei e nem ao medo. 

Rejeitem os aproveitadores explorando o evangelho. Denunciem os que se locupletam com o dinheiro dos fiéis desfrutando de mansões, carros de luxo e mordomias. Recusem as suas ameaças. Deus não precisa do seu dinheiro. Contudo, tenham em mente que a mensagem do evangelho chegou até as nossas vidas e a nossa missão, dada por Jesus, é percorrer todos os cantos da terra levando as boas-novas, guardando e defendendo a fé. Somos o luzeiro do mundo e temos a missão de sinalizar o Reino de Deus e a sua justiça aqui e agora. Isto exige recursos, mas o que orienta a nossa vida quanto a este aspecto é:

Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. 2 Coríntios 9:7





O texto a seguir,  publicado no perfil do Facebook do Nilton Oliveira oferece uma refutação muito boa aos defensores da contemporaneidade do dízimo.  




Nilton A Oliveira


Entendendo o Dízimo... 

Antes da lei - Abraão

Ora, Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; pois era sacerdote do Deus Altíssimo.... E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. Gênesis 14:18-20

Abraão deu o dízimo a Melquisedeque que era sacerdote de Deus em Jerusalém.

Na Bíblia, dízimo sempre deve ser entregue ao sacerdote e em Jerusalém (desde Abrão) ....

Se Abraão serve de exemplo para o cristão dar 10% a Deus, que exemplo estaria dando entregando os 90% restantes ao Rei de Sodoma, que era tão maligno que Deus destruiu a sua cidade ainda nos tempos do patriarca?

O que ocorre é que Abrão dizimou do despojo de guerra, não tendo nenhuma relação com o dízimo instituído por Moisés. "Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos." (Hebreus 7.4).

Era um costume da maioria dos povos, dizimar dos despojos de guerra aos seus deuses pagãos. Heródoto 1.89 - "...exijam de tuas tropas os despojos, sob o pretexto de que é preciso consagrar a décima parte a Júpiter."

Abraão tomou esse costume pagão para honrar o Deus verdadeiro e para que os futuros levitas que não poderiam dizimar, mas o fizessem através de Abrão, conforme Hebreus 7:9-10.

A bíblia nos mostra que Abraão deu o dízimo dos despojos de guerra e não ficou com nada para si, ou seja, dizimou daquilo que não era dele (era do rei de Sodoma). Não existe qualquer outro relato de Abraão dizimando.

Interessante é que o dízimo foi introduzido na bíblia por Abrão antes da Lei, e para alguns, isso dá respaldo à cobrança dos dízimos hoje. Mas, ignoram que, também por ele (Abraão), e antes da Lei, foi introduzida a CIRCUNCISÃO. Por que não vemos ninguém ensinado a circuncisão na igreja. A lógica é a mesma (mas o retorno não).



Antes da lei - Isaque e Jacó


A Bíblia nos mostra que Abraão deu o dízimo apenas uma vez ao sacerdote Melquisedeque.

Sobre o próximo patriarca Isaque, não existe qualquer relato sobre dízimo.

Com relação a Jacó existe apenas uma promessa, um voto, mas não há nenhum relato dele dizimando, bem porque não havia a quem entregar o dízimo, Não se tem mais notícias de Melquisedeque ou de qualquer outro sacerdote para receber seu dízimo. Apenas com a lei de Moisés, séculos depois, é estabelecido o sacerdócio de Arão e seus filhos.

Então Jacó fez um voto, dizendo: "Se Deus estiver comigo, cuidar de mim nesta viagem que estou fazendo, prover-me de comida e roupa, e levar-me de volta em segurança à casa de meu pai, então o Senhor será o meu Deus. E esta pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo". Gênesis 28:20-22.

A lição de Jacó é que os dízimos devem ser entregues como gratidão pelas bênçãos recebidas e não como condição para se receber bênçãos...


Entendendo o Dízimo... 

Na Lei

“Trazei todos os DÍZIMOS à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa...” Malaquias 3:10a.

Creio que esse é o texto mais conhecido como ordenança, como mandamento à prática do dízimo. Quando lemos esse texto já nos vem à mente a obrigação de dar 10% do nosso salário, ganho, lucro ou rendimento ao pastor. Mas será que era isso que Malaquias estava dizendo ou, era isso que o profeta chamava de dízimo?

A regulamentação do dízimo começa com Moisés, no Pentateuco, vejamos:

"Todos os dízimos da terra, seja dos cereais, seja das frutas das árvores, pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor.... O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor. Levítico 27:30-32. (NVI)

Nesse texto, entre outros, fica claro do que se daria o dízimo: Da produção da terra e da criação de animais, ou seja: alimento.

Não existe qualquer texto que mencione o dízimo de dinheiro, isso não existe. Quem pede dízimo de dinheiro, está se referindo a um mandamento próprio, não de Deus.

O dízimo na Lei era limitado aos alimentos produzidos pelos agricultores e pecuaristas. É simples assim.

Os demais trabalhadores, como artesãos, ourives, músicos, padeiros, copeiros, comerciantes, etc.., não dizimavam, posto que não existe dízimo de dinheiro e mesmo que recebessem seu salário em produtos da terra esses já haviam sido dizimados pelos produtores e a bíblia nada fala sobre dizimar de algo já dizimado. Deus repudia a usura. É a décima parte da produção de alimento e ponto.

Nesse texto ainda se desmistifica outra falácia, a que dízimo tem que ser o primeiro, a primícia. Veja que o dízimo é de um animal em cada dez que passar debaixo da vara. Assim se o pecuarista produzir 30 animais, supondo que o primeiro seja consagrado como dízimo será o 1º, o 11º e o 21º animal que serão dizimados e não o 1º, o 2º e o 3º. Interessante que se produzir apenas 9, nem dízimo tem...

“Trazei todos os dízimos à CASA DO TESOURO, para que haja mantimento na minha casa...” Malaquias 3:10a.

O que é  “CASA DO TESOURO” que muitos ensinam que é a igreja onde se congrega?

Então ordenou Ezequias que se preparassem câmaras na casa do SENHOR, e as prepararam. Ali recolheram fielmente as ofertas, e os dízimos, e as coisas consagradas. 2 Crônicas 31:11-12.

Ainda no mesmo dia, se nomearam homens para as câmaras dos tesouros, das ofertas, das primícias e dos dízimos, para ajuntarem nelas, das cidades, as porções designadas pela Lei... Neemias 12:44.

Como se verifica, Casa do Tesouro, eram câmaras, depósitos, onde eram armazenados os dízimos e ofertas trazidos pelo povo.

Essas câmaras eram vigiadas pelo levitas e administradas pelos sacerdotes, o povo não tinha acesso a elas. (Leia todo capítulo 12 de Neemias)

Onde na bíblia se diz que a Igreja é a Casa do Tesouro?

Onde na bíblia se diz que os pastores são os sacerdotes levitas?

Onde na bíblia se diz que o dízimo de alimentos virou de dinheiro?

Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei. Hebreus 7:12

Mudamos do sacerdócio levítico para o de Jesus, necessariamente mudamos da lei de Moisés para o Evangelho.

No evangelho não há distinção entre judeu e gentio...

No evangelho, cada cristão verdadeiro é sacerdote real (não apenas o pastor).

No evangelho, cada cristão verdadeiro é a casa de Deus (não o prédio da igreja). Guardem bem isso...

“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja MANTIMENTO na minha casa...” Malaquias 3:10a.

Alguns dizem que mantimento, aqui, tem o sentido de manter, de manutenção, mas isso só tem sentido se dízimo for de dinheiro e casa do tesouro for um prédio a ser mantido, como já vimos, não é o caso.

O que o profeta chama de mantimento é mantimento mesmo, ou seja, alimento, comida...

Qual a finalidade de se ter comida, alimento estocado na Casa do Senhor?

“Para que os levitas, ... e os estrangeiros, os órfãos e as viúvas (pobres) ... venham comer e saciar-se... Dt. 14:29.

É simples assim....

Na Lei - Regulamentação

O texto de regulamentação do dízimo mais abrangente é o de Deuteronômio, visto que é uma repetição sistematizada da Lei, vamos ver alguns versos do capítulo 14.

22 Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente.

- Quem disse que dízimo tem que ser mensal, quinzenal, semanal?

23 COMAM o DÍZIMO... na presença do Senhor... para que aprendam a temer sempre o Senhor, o seu Deus.

- Isso mesmo, o dízimo não era simplesmente entregue, quem dizimava também participava dele...

24 Mas, se o local (templo/tabernáculo) for longe demais e vocês tiverem sido abençoados pelo Senhor, o seu Deus, e não puderem carregar o dízimo... 25 troquem o dízimo por DINHEIRO...

- Quem diz que o dízimo era dos produtos da terra por ainda não existir o dinheiro está equivocado...

26 Com o dinheiro comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada, ou qualquer outra coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias comam e alegrem-se ali, na presença do Senhor, o seu Deus.

- O momento da entrega do dízimo era de muita festa, custeada pelo próprio dízimo...

27 E nunca se esqueçam dos levitas que vivem em suas cidades, pois eles não possuem propriedade nem herança próprias. 28 Ao final de cada três anos, tragam todos os dízimos da colheita do terceiro ano, armazenando-os em sua própria cidade, 29 para que os levitas,... os estrangeiros, os órfãos e as viúvas que vivem na sua cidade venham comer e saciar-se, e para que o Senhor, o seu Deus, os abençoe em todo o trabalho das suas mãos.

- A cada três anos o dízimo ficava com o próprio dizimista para ele atender às necessidades dos levitas e necessitados mais próximos.

Todos já vimos pastores usando a lei para “pedirem” dízimos, mas alguém já viu algum deles dando o destino que a lei manda dar aos dízimos?

Que igreja faz festas para seus membros com o dinheiro dos dízimos?

Que igreja ensina seus membros a reterem seu dízimo para atender ao necessitado mais próximo deles?

Que igreja ajuda ao podre, necessitado da igreja com o dinheiro dos dízimos?

Quando existe alguma ajuda é praticada por alguns voluntários. A resposta da igreja para o necessitado que a procura, normalmente é: porque ele não é dizimista, se é dizimista é porque não tem fé, se tem fé é porque tem que dar um passo que demonstre sua fé, pondo mais dinheiro no gazofilácio, ou ainda pior, o necessitado está em pecado. Mas eles o ajudam em oração... recomendam jejuns... votos... correntes... tudo subjetivo, de prático nada.

São dois pesos e duas medidas. Usam a lei para pedir, mas usam o dinheiro arrecadado como melhor lhes convém. Usam o dinheiro dos dízimos para bancar estruturas, aluguéis, coisas, os próprios salários é claro, muitas vezes bem gordos.

A Bíblia só tem utilidade para pedir, para usar o que foi arrecadado eles mesmos resolvem. Misericórdia!

Entendendo o dízimo...
Na Lei -  Roubando a Deus

"Pode um homem ROUBAR de Deus? Contudo vocês estão me roubando. E ainda perguntam: ‘Como é que te roubamos?’ Nos dízimos e nas ofertas. Malaquias 3:8

Esse texto é muito usado para dizer que quem não dá o dízimo é ladrão... Chegam até a afirmar que se perde a salvação, pois o ladrão não entrará no reino de Deus.

Mas a quem Malaquias estava chamando de ladrão? 

Leia Malaquias inteiro e você verá claramente que o profeta falava diretamente aos Sacerdotes, e indiretamente ao povo e mesmo assim quando falava do pecado do povo, referia-se à displicência dos sacerdotes em ensinar o povo e na complacência em aceitar o pecado do povo, sempre em benefício próprio.

"E agora esta advertência é para vocês, ó sacerdotes. Malaquias 2:1 

- Para quem era a advertência? Aos Sacerdotes...

Mas vocês se desviaram do caminho e pelo seu ensino causaram a queda de muita gente... Malaquias 2:8

 - Quem se desviou e ensinou o erro e causou a queda de muita gente? 

Os Sacerdotes...

Ele (Deus) se sentará como... purificador ...e purificará os levitas.... Assim trarão ao Senhor ofertas com justiça. Então as ofertas de Judá e de Jerusalém serão agradáveis ao Senhor... Malaquias 3:3-4 

- Quem tem que estar puro para que as ofertas do povo sejam aceitas por Deus? 

Os Levitas que incluem os sacerdotes.

Tragam o dízimo todo ao depósito do templo (casa do tesouro), para que haja alimento em minha casa. Malaquias 3:10

 - Quem tinha acesso à casa do tesouro e o dever de levar até lá todo o dízimo? 

Os sacerdotes...

Assim vemos que quem estava roubando a Deus não era o povo, mas os Sacerdotes que aceitavam qualquer coisa do povo como dízimo e ofertas, pois era para eles mesmos. Eles desviavam o que era arrecadado, em vez de levarem à casa do tesouro, e assim não havia alimento na casa de Deus, etc... 

Dízimo é obrigatório, oferta é voluntário, como roubar a Deus naquilo que dou se quiser? 

Agora o sacerdote que recebia as ofertas era obrigado a dar o destino correto, não fazer isso é roubo.

Se pudéssemos trazer para os dias atuais, quem estaria roubando a Deus não seria o povo, mas sim os pastores que aceitam qualquer coisa como dízimo e oferta. Que dão a tudo que é arrecadado o destino que bem entendem e não o que a Palavra determina.

Ladrão, são os pastores que ensinam para proveito próprio e levam muitos à queda.

Ladrão, são os líderes que estão em pecado e por isso a oferta do povo não é aceita...

Ladrão são os pastores que arrecadam, mas não compartilham com o pobre e necessitado da igreja. 

Entendendo o dízimo...
No novo testamento -  Mas ainda na Lei


Disse Jesus:

"Chegando a Jerusalém, Jesus entrou no templo e ali começou a expulsar os que estavam comprando e vendendo. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas e não permitia que ninguém carregasse mercadorias pelo templo.
E os ensinava, dizendo: "Não está escrito: ‘A minha casa será chamada casa de oração para todos os povos’? Mas vocês fizeram dela um covil de ladrões".
Os chefes dos sacerdotes e os mestres da lei ouviram essas palavras e começaram a procurar uma forma de matá-lo..." Marcos 11:15-18.

O coração do povo é generoso e por isso mesmo vira presa fácil desse líderes religiosos que transformam o que deveria ser "casa de oração" em local de comércio. Onde toda sorte de benção é obtida simplesmente fazendo-se um sacrifício de fé, que sempre se traduz em dinheiro no gazofilácio ou no bolso do líder...

Esses mercenários da fé é que são os ladrões que a bíblia se refere... 

Não você povo de Deus que dá muito mais do que deveria, e pior, a quem não devia.



Entendendo o dízimo...
Na Lei -  Fazendo prova de Deus

Com maldição sois amaldiçoados... Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois FAZEI PROVAS DE MIM nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu... Malaquias 3:9-10

Na velha aliança, a obediência à Lei gerava a bênção e a desobediência a maldição.

"E será que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar TODOS os seus mandamentos que eu hoje te ordeno... todas estas BÊNÇÃOS virão sobre ti e te alcançarão..." Deuteronômio 28:1-2

"Será, porém, que, se NÃO deres ouvidos à voz do SENHOR teu Deus, para não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas MALDIÇÕES, e te alcançarão." Deuteronômio 28:15

O dízimo é parte da Lei e não escapa a essa regra, assim quem não obedece pode esperar a maldição e quem obedece pode esperar a benção. Nesse contexto, Deus está dizendo: façam a sua parte e provem-me se não farei a minha parte.

Na Nova Aliança, não existe nada que obrigue Deus a nos abençoar materialmente, para que possamos prová-lo. Na graça isso é tentar a Deus, veja que não é um bom negócio...

Aplicar esse princípio da Lei à Graça é "barganhar".

 Veja que ninguém conseguiu cumprir a Lei para estar em condições de barganhar com Deus. O único que cumpriu toda a Lei foi Jesus e não barganhou.

Na Graça já recebemos a mais excelente de todas as bênçãos, a SALVAÇÃO, de graça. Isso é motivo para nos gastarmos no evangelho, por pura gratidão. Qualquer coisa que vá além, é pura e transbordante graça e soberania de Deus, nunca por merecimento ou por troca.

"...Tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos." 1 Timóteo 6:8.


Entendendo o dízimo...
Na Lei -  Os 3 Tipos de Dízimo


TIPO 1 

- É o dízimo de Abraão, antes da Lei, dado do despojo de guerra, para um sacerdote de Jerusalém.

Base bíblica: 

"Ora, Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; pois era sacerdote do Deus Altíssimo.... E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo." Gênesis 14:18-20

"Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos." (Hebreus 7.4)

TIPO 2

 - É o dízimo dos judeus, da Lei. Dízimo de ALIMENTOS, dados para o sustento dos levitas e sacerdotes que serviam no templo em Jerusalém, bem como dos pobres...

Base bíblica: 

"Todos os dízimos da terra, seja dos cereais, seja das frutas das árvores, pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor.... O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor. Levítico 27:30-32.


TIPO 3

 - É o dízimo de hoje, dado nas “Igrejas” aos seus líderes em qualquer lugar do planeta. É o dízimo de DINHEIRO de qualquer renda do fiel, notadamente do salário.

Base bíblica:

 SAMBARILOVE

- Entendeu?


Entendendo o dízimo...
No novo testamento


No novo testamento só encontramos três referências diretas ao dízimo, mas nenhuma delas como regra à sua observância pela igreja. Também não existe nenhuma referência que demonstre que a igreja primitiva dizimava.

Tudo que praticamos como “dízimo” está baseado na lei.

O Novo Testamento sempre nos alerta que a lei caducou e que estamos debaixo de superior aliança em Cristo.

Ainda nos mostra que a Lei se cumpre por inteiro, não se pode extrair dela apenas as práticas convenientes e desprezar as que não interessam.

“Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente”. Tiago 2:10

“Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em TODAS as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. Gálatas 3:10

“De novo declaro a todo homem que se deixa circuncidar (dizimar, sacrificar, guardar dias, comidas...) que está obrigado a cumprir toda a lei”. Gálatas 5:3.

Muitos avocam para si as bênçãos de Deuteronômio 28, esquecendo-se que a condição para recebê-las é guardar TODA a lei e não apenas o dízimo, e quem não guarda TODA a lei é amaldiçoado. Existe alguma pessoa capaz de cumprir TODA a lei? Não. Somente Jesus o fez e nos libertou da lei para nos estabelecer numa nova e superior aliança...

“Mas agora alcançou Ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de superior aliança, que está firmada em melhores promessas”. Hebreus 8:6

A escolha é sua...


Entendendo o dízimo...
No novo testamento 
- Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas

Como dissemos, existem apenas três referências diretas ao dízimo no Novo Testamento, mas nenhuma delas como instrução à sua prática pela igreja. Os textos são: Mateus 23:23 (repetido em Lucas 11:42), Lucas 18:12 e Hebreus 7:1-10.

Iniciamos com Mateus 23:23 (Lucas 11:42) “Ai de vós, mestres da Lei e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, E DESPREZAIS O MAIS IMPORTANTE DA LEI, a justiça, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”.

Nesse texto Jesus não está recomendando o dízimo à igreja. Os hipócritas do texto é que o estavam supervalorizando, dando o dízimo daquilo que a Lei não pedia, de coisas insignificantes, estavam indo além, Essa “fidelidade” ao dízimo era hipocrisia, pois o mais importante da Lei, e que de fato importava era a justiça, a misericórdia e a fé, e isso eles desprezavam.

Como já vimos a Lei se cumpre por inteiro e é isso que Jesus está afirmando. Cumprir ou exigir apenas o que interessa é hipocrisia.

Cumpre ainda salientar que Jesus era judeu estava falando com os principais do judaísmo e ainda estavam sob a Lei e deviam cumprir a Lei. A Igreja não existia nessa época. A Nova Aliança se inicia com a morte de Jesus e não com o seu nascimento, Jesus veio cumprir a Lei e não revogá-la, como visto na postagem anterior.

Assim vemos que esse texto não é uma orientação para a IGREJA dizimar, antes uma declaração clara do espírito da Lei que é o que de fato importa a nós, a saber: a justiça, a misericórdia e a fé.

Se formos entender tudo o que Jesus fez, como recomendação para a igreja, a igreja teria que cumprir toda a Lei, pois Jesus cumpriu toda a Lei, por exemplo: teríamos que nos circuncidar, Jesus foi circuncidado ao 8º dia como manda a Lei.

O interessante é que Jesus foi circuncidado, está registrado (lc.2:21-22), mas nunca dizimou. Se a circuncisão, que era praticada antes da lei, na lei, e por Jesus, está revogada para a igreja, por que o dízimo que percorre o mesmo caminho, mas não foi praticado por Jesus é “validado”? Alguns o validam por ignorância e a esses eu respeito. Mas outros por má fé, com o objetivo de obter vantagens indevidas dos fiéis...

Entendendo o dízimo...
No novo testamento 
Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado


Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano.O fariseu, em pé, orava no íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’"Mas o publicano ficou à distância. Ele nem ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, dizia: ‘Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador’.Eu lhes digo que este homem, e não o outro, foi para casa justificado diante de Deus. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado". Lucas 18:10-14.

Alguém consegue ver, nesse texto, alguma recomendação para a igreja dizimar?

O fariseu era um religioso judeu vivendo sob a lei e lhe era imposto o dízimo. E ele apenas cumprindo o que era sua obrigação se orgulhava disso, julgando-se melhor do que os outros.

Hoje, isso é até pior, pois muitos ensinam que “pagar” o dízimo é a única forma de chamar a atenção de Deus para a sua vida financeira, só dizimando você poderá “cobrar” de Deus a benção pretendida.

De Deus nós nunca cobramos nada, sempre agradecemos, pois tudo que tinha que fazer já fez na cruz e já é mais que motivo para passarmos a vida agradecendo. Se Ele quiser dar algo a mais é por pura, abundante, transbordante e imerecida graça.

Ao contrário, esse texto mostra que não há nada que você possa fazer para chamar a atenção de Deus.

Você só consegue chamar a atenção de Deus quando reconhece que é pecador e, arrependido, confia na graça de Jesus, manifestada na cruz.

Os sacrifícios que agradam a Deus, não são dízimos, jejuns ou qualquer outra obra humana, mas um espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito Deus não despreza, conforme diz o Salmo 51:17.

Esse texto foi escrito na vigência da Lei. Se na lei já era assim, quanto mais agora...





Entendendo o dízimo...
No novo testamento 
A lei requer dos sacerdotes dentre os descendentes de Levi que recebam o dízimo do povo...

O último texto que fala sobre dízimo no Novo Testamento é Hebreus 7:1-10

Esse Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, encontrou-se com Abraão... e Abraão lhe deu o dízimo de tudo. Em primeiro lugar, seu nome significa "rei de justiça"; depois, "rei de Salém" quer dizer "rei de paz".... feito semelhante ao Filho de Deus, ele permanece sacerdote para sempre. Considerem a grandeza desse homem: até mesmo o patriarca Abraão lhe deu o dízimo dos despojos! A lei requer dos sacerdotes dentre os descendentes de Levi que recebam o dízimo do povo... Este homem, porém, que não pertencia à linhagem de Levi, recebeu os dízimos de Abraão e abençoou aquele que tinha as promessas. Sem dúvida alguma, o inferior é abençoado pelo superior. Pode-se até dizer que Levi, que recebe os dízimos, entregou-os por meio de Abraão, pois, quando Melquisedeque se encontrou com Abraão, Levi ainda estava no corpo do seu antepassado. Hebreus 7:1-10.

Alguém consegue ver alguma ordenança para a igreja dizimar, com base nesse texto?

A única lição que tiramos de dízimo aqui é que dízimo só é dizimo quando entregue ao sacerdote e em Jerusalém. Hoje, como não existe mais sacerdote, nem o templo, nem os judeus podem dizimar. Eles ofertam nas sinagogas para o sustento do judeus necessitados, por isso não encontramos judeus pobres. Pena que a igreja não faça o mesmo.

Aqui Paulo (entendo ser ele o autor de Hebreus) não está ensinando sobre dízimo, mas sim, sobre sacerdócio.

Hebreus é o nome antigo dos Israelitas/Judeus, Paulo aqui se dirige aos Hebreus convertidos.

Para nós, gentios, é fácil reconhecer Jesus como sumo sacerdote, mas para os judeus não era, o sacerdote tinha que ser levita e descendente de Arão e Jesus não era nem um nem outro, como poderia então ser sumo sacerdote?

Paulo, nesse capítulo de Hebreus mostra como: Voltando antes da Lei, onde já existia um sacerdote do Deus Altíssimo, Melquisedeque, que era maior que o próprio Abraão, e que o sacerdócio de Jesus é segundo a ordem desse Melquisedeque, que é livre e superior à Lei.

Na conclusão desse capítulo o autor diz:

...mas, visto que vive para sempre, Jesus tem um sacerdócio permanente. Portanto ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles. É de um sumo sacerdote como este que precisávamos: santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado acima dos céus. Ao contrário dos outros sumos sacerdotes, ele não tem necessidade de oferecer sacrifícios dia após dia, primeiro por seus próprios pecados e, depois, pelos pecados do povo. E ele fez isso de uma vez por todas quando a si mesmo se ofereceu. Pois a Lei constitui sumos sacerdotes a homens que têm fraquezas; mas o juramento, que veio depois da Lei, constitui o Filho, perfeito para sempre. Hebreus 7:24-28
A exemplo de Melquisedeque, Jesus é sumo sacerdote e é rei, por isso, hoje, somos constituídos sacerdotes reais:

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 1Pedro 2:9

Aleluia!


Entendendo o dízimo...
No novo testamento 
Deus ama quem dá com alegria

Com tudo que foi dito, não quero passar a ideia que é errado contribuir, de forma alguma, mas que a contribuição seja como deve ser e a “regra” para a contribuição na igreja é esta:

Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. 2 Coríntios 9:7












 

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail