681818171876702
Loading...

É falsa a noticia relatando uma visita do papa Francisco a uma Assembleia de Deus no Rio de Janeiro, durante a qual, teria orado com pastores evangélicos



REDAÇÃO

Durante a visita do papa Francisco ao Brasil circulou nos principais veículos de imprensa do país uma informação surpreendente. Foi noticiado que o papa ao passar diante de uma igreja Assembléia de Deus durante a sua visita a uma comunidade carente em Manguinhos, no Rio de Janeiro, teria entrado na congregação e rezado, juntamente com os pastores locais, evangélicos, católicos e padres de sua comitiva, a oração do “Pai Nosso”.

A notícia mereceu destaque na imprensa e deu novas pinceladas de simpatia e fraternidade ao perfil do novo pontífice. Muitos artigos foram escritos acerca deste momento exaltando o espirito da comunhão cristã, o caráter renovador do papa e o ecumenismo. Obviamente, foram escritos outros tantos com críticas ao gesto, que segundo o noticiado, havia sido espontâneo.

Lamentavelmente, ao menos para a maioria, esta prova de amizade e celebração do que temos em comum, enquanto seguidores de Cristo, de fato, não ocorreu.

Não se sabe ainda a origem do boato, mas o fato é que a maioria dos textos, sempre desacompanhados de imagens, segue sempre as mesmas bases das matéria a seguir da Agência Brasil e de O Globo:


Agência Brasil , Rio de Janeiro - Em sua caminhada pela comunidade de Varginha, no Complexo de Manguinhos, na zona norte da capital fluminense, o papa Francisco parou em uma igreja evangélica da Assembleia de Deus e fez uma oração com o pastor e os cristãos protestantes, informou o padre Márcio Queiroz, que acompanhou o pontífice na visita à favela.

"Caminhando pela comunidade, chegamos até a igreja evangélica. Eu mostrei a ele que eles estavam no templo, e ele pediu para ir até lá para cumprimentá-los. O papa falou com o pastor e com as pessoas que estavam lá, e os convidou a rezarem um Pai Nosso", disse.

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, também comentou a parada do pontífice na Assembleia de Deus. "O papa parou em frente à igreja e rezou com os fiéis da Assembleia de Deus que estavam na porta. Até eles pediram bênção. Foi um momento ecumênico, espontâneo e muito bonito", ressaltou.


Nesta favela com cerca de mil moradores vive mais ou menos a mesma quantidade de católicos e evangélicos, segundo Everaldo. No entanto, há apenas uma igreja e uma pequena capela católica, a de São Sebastião, que ainda não foi concluída, contra quatro templos neopentecostais. Como várias favelas, Varginha registrou nos últimos anos um forte crescimento de igrejas evangélicas. Para o Vaticano, a visita do Papa a esta comunidade é uma oportunidade de mostrar que o terreno não foi abandonado.

De fato, os evangélicos abrirão as portas de seus templos e de suas casas ao pontífice.

'Ele é diferente, se mostra mais humilde em relação aos pobres. Jesus Cristo veio à Terra para isso', assegura Rogério, um pastor da Assembleia de Deus que se ocupa dos dependentes de crack na região.

Índio é um mecânico de 68 anos e, enquanto examina o motor de um carro, explica que virou evangélico 'por necessidade, ou seja, para deixar o alcoolismo'.

'Estou muito contente em receber o papa em minha casa. Isso vai ter repercussões boas por aqui, oportunidades que a gente não teria antes', destaca, esperançoso. 


Em outras matérias, o relato incluía o fato do papa ter entrado na igreja evangélica.

O autor da descoberta da falsa notícia foi Isael de Araújo, chefe do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal – CEMP - da CPAD – Casa Publicadora das Assembleias de Deus que movido pelo senso natural que move os pesquisadores, mas também atendendo interesse da pesquisadora Dra. Marina Corrêa da PUC – SP, orientou o interesse do Pb. Eduardo Araújo, da equipe de jornalismo da CPAD , pela apuração do caso.

Apurou-se que a igreja da Assembleia de Deus referida nas reportagens da mídia é uma congregação da Assembleia de Deus de Bonsucesso, cujo pastor-presidente Jaime Soares, membro da CGADB. O dirigente da congregação é o presbítero Eliel Magalhães. O relato dos acontecimentos noticiado pela grande imprensa é falso. 

 

A verdade


Como se pode ver nas imagens gravadas por um telefone celular, o papa não entrou na congregação, tão pouco orou com os pastores. O que ocorreu é que, passando no trecho da rua onde está a Assembleia de Deus e cujo o acesso estava impedido pela multidão e cavaletes de segurança, o papa recebeu pedidos insistentes de fiéis católicos para abençoar vasilhames de água e o que parecem ser imagens e "santinhos". Todos queriam a agua benta papal. 

Convenhamos, que tais pedidos (abençoar água e imagens) não fazem parte do roteiro do show de nenhum evangélico... Exceto, claro, os da Universal e Mundial. Mas estes ai não são crentes!

Seja como for, o monsenhor acompanhando o papa, pediu calma aos fiéis católicos e iniciou um “Pai Nosso” a fim de abençoar os badulaques dos fiéis. Um segurança do papa, inclusive, forneceu mais uma garrafa de água para o ofício. Os fieis católicos acompanharam o papa em contrição. Outros seguiram com a histeria.

Para a alegria de católicos e evangélicos, por necessidade...


Resumindo, o papa não visitou e, tão pouco, teve um momento de comunhão com os pastores daquela congregação. O acontecimento até poderia ter sido “um momento ecumênico, espontâneo e muito bonito”, como descreveu o bispo, mas não foi assim. 

O jornalista foi muito criativo e, atrás dele, outros foram muitos outros, ainda mais falaciosos, terminando em um enredo de “comercial de margarina ecumênica”, ideal para abrilhantar o Fantástico e outros noticiosos menos cotados. Ficaram felizes os católicos, os crentes, os ímpios e até os evangélicos por necessidade, como o irmão pinguço da matéria de O Globo (acima) que buscou Jesus na igreja evangélica para parar de beber, mas que já pretende voltar a santa madre igreja, agora que não precisa mais de milagres.

A Globo que nos conhecemos


Fica o lamento, não em função do que não houve; tão pouco pelo que, de fato, houve; mas pela péssima qualidade do jornalismo nacional que, seguindo a pauta da Rede Globo, achou por bem retocar a imagem papal (já muito boa ,dispensando melhorias!) para muito além do rococó mais sublime e mais santo e, no decurso, ferrar com os evangélicos.

E não teve gente que disse que depois do “Pai Nosso” o papa ainda tomou um café e comeu um bolinho na casa de uns crentes?

Lembrem-se crentes antigos e aprendam os mais novos na fé!  Acordem os que hoje vibram com o troféu promessas e os cantores da Som Livre Gospel: Era assim, e daí para muito pior, que a Globo nos tratava quando não estava atrás do nosso dinheiro. Desrespeito para com a nossa confissão de fé, esforço missionário e história.

Atentem-se para  o que se lê nas entrelinhas da matéria do G1: Manguinhos ainda há de se recuperar e virar católica! Aquela obra de capelinha, há mais de 10 anos abandonada, vale mais do que quatro comunidades evangélicas vibrantes... Basta uma visita de 10 minutos do papa para o populacho perceber o erro, abandonar a apostasia e voltar a rezar o terço. 


Com informações de Point Rhema e o do blog de Isael de Araujo











 

religião 4658665344789040194

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail