681818171876702
Loading...

Tabloide britânico destaca atuação do deputado evangélico Carlos Bezerra Jr. na convocação da Zara por trabalho escravo


Um dos mais populares tabloides britânicos, o Daily Mail, deu destaque para a iniciativa do deputado Carlos Bezerra Jr. (PSDB) na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado. Em matéria sobre caso de escravidão envolvendo a Zara na Argentina, o jornal comentou a atuação do parlamentar na convocação do presidente da grife, Enrique Huerta Gonzaléz, para prestar esclarecimentos por flagra de trabalho escravo envolvendo a confecção de peças de roupas do grupo no Brasil.

Na ocasião, durante a comissão em 2011, Bezerra Jr. questionou a alegação de Huertas que dizia desconhecer escravidão nas terceirizadas da empresa. “Não lhes causou espanto ao menos ter constatado que o significativo aumento dos lucros se deu com base na diminuição do número de trabalhadores formais? Não é possível que alguém da Zara não estivesse atento a isso”, argumentou.

O parlamentar ainda propôs que a empresa indenizasse imediatamente as vítimas do trabalho escravo. “O mínimo a ser feito é que esse lucro obtido ilegalmente, com base na exploração cruel de mão-de-obra, seja devolvido a cada um dos lesados e a suas famílias”, cobrou o deputado.

“The company was later forced to apologise in front of state deputies at Sao Paulo’s Human Rights Commission, and paid fines totalling more than £350,000 as well as compensation to the workers (A empresa teve de pedir desculpas na frente de deputados estaduais na Comissão de Direitos Humanos de São Paulo, e pagar multas, totalizando mais de £ 350.000, além de compensação para os trabalhadores)”, noticiou o tabloide, referindo-se a ação do deputado. (Para ver a matéria no jornal, clique aqui)

Além da Zara, Bezerra Jr. convocou para esclarecimentos no parlamento paulista sobre denúncia de escravidão os representantes da Racional Construtora, do Minha Casa, Minha Vida em obra no interior do Estado, e, recentemente, o diretor-executivo da empresa GEP – detentora das marcas Luigi Bertolli, Emme, Cori e representante da GAP do Brasil.

Bezerra Jr. é o autor da nova lei paulista contra o trabalho escravo, considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como referência mundial no combate a escravidão e reconhecida por especialistas em Direitos Humanos como a mais rígida punição a escravagistas desde a Lei Áurea. A legislação cancela por dez anos o registro no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de empresas flagradas com trabalho escravo diretamente ou indiretamente.



[AI]





 

TRABALHO ESCRAVO 7219452679414832170

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail