681818171876702
Loading...

Pastor José Wellington segue firme na liderança das Assembléias de Deus


O pastor José Wellington foi reeleito presidente da Assembleia de Deus. A eleição foi realizada nesta quinta-feira (11), em Brasília. Há 22 anos no cargo, Wellington vai chefiar a maior denominação evangélica do país pelos próximos quatro anos.

José Wellington, de São Paulo, disputou a eleição com Samuel Câmara, de Belém do Pará, que disputou o posto pela terceira vez e conquista o troféu de maior derrotado na história da CGADB. 




Em um pleito cercado de denúncias e arruaças envolvendo o candidato da oposição, as previsões eram de uma eleição apertada e até mesmo eventual vitória de Samuel Câmara que até escreveu um livro com suas visões para a denominação e cujo apelo principal era o pedido de renovação na direção da Assembleia de Deus. Contudo, o resultado das eleições deixam claro que se há pastores da A.D. desejando renovação, Samuel Câmara não é a opção.

A eleição foi realizada no Pavilhão de Exposições do Parque da capital federal. A convenção geral começou no dia 8 e se encerra nesta sexta (12), prazo máximo para divulgação do resultado da votação. A cerimônia de posse do eleito vai ser realizada ainda no último dia do evento. 

As duas únicas novidades no processo  foram:

(1) A recente atenção da imprensa nacional ao pastor deputado Marco Feliciano deu a este uma visibilidade em um ambiente onde nunca muito prestigiado – CGADB – muito ao contrário. Feliciano já protagonizou momentos de grande constrangimento envolvendo a sua eventual filiação nacional (questionada por alguns), a recusa de sua filiação à convenção paulista, além de reprimendas públicas de líderes da CGADB por suas declarações polêmicas (não as recentes que lhe deram fama, mas outras de seu longo currículo). Se toda esta celeuma da imprensa e exposição negativa irá, garantir resultados eleitorais ao pastor nas próximas eleições ou frustrar indefinidamente projetos políticos mais ambiciosos de Marco Feliciano ainda não sabemos, mas na CGADB os frutos são surpreendentemente positivos. Além de garantir muita atenção na convenção, coisa que para muitos era mais difícil de acontecer do que o deputado Marco Feliciano vir a disputar e ganhar a presidência da república, os convencionais aprovaram, ainda que por votação simbólica, uma moção em apoio a sua presença à frente da CDHM.

(2) A  política nas Assembleias de Deus nunca mereceu tanta atenção da imprensa. Se a recente cobertura da imprensa nacional ao processo eleitoral nas A.D se justifica, em alguma medida, pelo crescimento dos evangélicos confirmado no último censo, não há como negar que boa parte da atenção da imprensa a estas eleições é devida ao assedio dirigido ao deputado Marco Feliciano. A assembléia da CGADB ganhou a atenção da imprensa rendendo, inclusive, matérias na TV e as páginas de periódicos nacionais e chama a atenção a presença de Marco Feliciano nestas matérias, onde em alguns casos, apenas a sua imagem estampou as reportagens sobre as eleições na CGADB. Ironias do destino à parte e descontados os deslizes de cobertura contabilizados na conta da imprensa nacional que desconhece os meandros do universo evangélico e das Assembléias de Deus em particular, o que chamou muito a atenção foi o mínimo destaque   dado ao candidato Samuel Câmara nas referidas matérias. Na maioria das reportagens nacionais, sua imagem foi ignorada, tendo somente as fotografias do pastor José Wellington e de Marco Feliciano ilustrado as notícias.






 
Assembléia de Deus 3402459252610565261

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail