681818171876702
Loading...

Pastor brasileiro abre portas de igreja após massacre nos EUA

Fiéis, cidadãos e parentes de vítimas reúnem-se para oração em igreja metodista de Newtown Foto: AFP


Do lado de fora da casa onde vive, em Bethel, Connecticut, o pastor evangélico Walcir da Silva podia ver na sexta-feira à noite o estacionamento "quase completamente lotado" da igreja onde trabalha. Mas não por causa do concerto de Natal marcado para as 7h daquela noite – evento que fora cancelado mais cedo. Em qualquer outro momento, o natural seria que os cerca de 500 lugares disponíveis estivessem praticamente vazios.

"Em uma hora destas, o pessoal encontra nas igrejas um verdadeiro refúgio", afirma o pastor.

Morando há cerca de um ano e meio na comunidade, distante apenas pouco mais de 10 km da escola de Sandy Hook, Newtown, o pastor se diz "impactado com a reação das pessoas à procura de conforto religioso". O efeito da morte de 27 pessoas, entre elas 20 crianças, no vilarejo de Newtown, foi comparável à de um desastre natural de escala muito maior, afirma.

"É uma crise que vai além do social, não é uma crise comum", disse ele por telefone à BBC Brasil. "É um ato de violência que expõe a fragilidade da sociedade em que vivemos. Uma sociedade em que alguém, de um instante a outro, pode fazer algo assim e causar tanta destruição."

Vigílias

Depois do massacre, muitas igrejas nas proximidades de Newtown anunciaram vigília de 24 horas para velar pelas vítimas. O musical que seria apresentado na Igreja Comunitária de Walnut Hill, onde o pastor Walcir se encarrega do ministério da diversidade, fazendo sermões em português, também foi desmarcado.

A igreja atende a cerca de 2.200 fieis, entre os quais muitas famílias cujos filhos estudam na escola de Sandy Hook. Até o fim da sexta-feira, não havia informações de que nenhuma delas estivesse entre os mortos. Diferente de Estados como Oklahoma, Tennesse ou Arkansas, onde mais da metade da população se diz evangélica, em Connecticut essa proporção fica em menos de 10%, de acordo com números do centro de pesquisas Pew Religion.

Por isso, para o pastor Walcir, o sentimento religioso despertado de forma tão "rápida" nas pessoas que buscaram as igrejas após a tragédia de Sandy Hook ilustra a grande necessidade espiritual que o massacre criou. "Já recebi muitas ligações de pessoas aflitas e chocadas", diz. “Passei o dia à disposição para atender telefones, compartilhar e orar. Nossa igreja está aberta hoje como um lugar de oração."

A Walnut Hill Community Church tem 21 pastores e ele foi um dos que se voluntariaram para se revezar em acolher os fieis em busca de oração e aconselhamento.

"Este acontecimento tem os ingredientes necessários para que o povo americano faça uma oportuna e necessária reflexão sobre os seus valores relacionados a algumas de suas muitas 'liberdades', dentre as quais o 'direito à posse de armas e munições'", escreveu o pastor, em um email à BBC Brasil na noite da sexta-feira.

"Minha expectativa é que algum benefício advenha deste grande maleficio.

Investigações

A polícia disse esperar obter mais informações na manhã deste sábado, incluindo a confirmação da identidade das vítimas. Mais de 12 horas após o massacre, a polícia começou a remover os corpos da escola e a chamar os pais para identificação, informou a NBC News.

Os investigadores estão tentando conseguir mais informações sobre o atirador, Adam Lanza, e interrogaram seu irmão mais velho, Ryan Lanza, de 24 anos. Mas um oficial disse não acreditar que Ryan tenha qualquer envolvimento com o massacre, pois os dois irmãos não faziam contato desde 2010. Os investigadores agora procuram informações em computadores e telefones.

O porta-voz da polícia estadual, tenente Paul Vance, confirmou que o atirador matou 18 crianças dentro da escola primária de Sandy Hook, em Newton, de 27.000 habitantes, 128 km ao nordeste de Nova York, enquanto duas morreram em um hospital.

Também morreram seis adultos e o agressor. As autoridades ainda não esclareceram e o atirador cometeu suicídio ou foi morto em uma ação policial. A polícia afirmou que um adulto foi encontrado morto em outro local da cidade. Muitos veículos de imprensa afirmam que pode ser a mãe do atirador, Nancy Lanza. De acordo com a rede CNN, as armas usadas no massacre teriam sido compradas por Nancy Lanza. 

O incidente foi o segundo mais grave nos recorrentes tiroteios registrados em centros educacionais dos Estados Unidos. O governador do estado, Dan Malloy, afirmou que "o mal visitou hoje esta comunidade". A escola de Sandy Hook tem 600 alunos com idades entre cinco e 12 anos.






Com informações BBC Brasil/AP/AFP





 

solidariedade 3105458335805296544

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail