681818171876702
Loading...

O Tiozinho do Apocalipse e o Gangnam`s style do INRI

 INRI Severo, que ao contrário do primo blogueiro gosta de mulher.

Caros seguidores, há uma esperança.


Apesar dos vários sinais apocalípticos, o mundo não vai acabar no dia 21 de dezembro deste ano. Por quê? Para garantir que tudo vai terminar bem, o Blog Pop! Pop! Pop! foi atrás de um especialista na vida, no universo e em tudo mais: Inri Cristo.

Inri, para quem ainda não o conhece, é um líder religioso nascido em Indaial, Santa Catarina, que proclama ser a reencarnação de Jesus Cristo. O profeta é habituée de programas de TV, onde divulga os ensinamentos da instituição Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade, que fundou em 1982. A seguir, leia cinco perguntas que fizemos a Inri sobre o fim do mundo:

O mundo vai acabar em dezembro deste ano?

O mundo vai acabar sim, para todos os que morrerem até aquela data. Mas a vida na Terra continua. O mundo em si não acabará, e sim haverá o fim deste mundo caótico. Ocorrerá uma grande limpeza no planeta, uma renovação, uma varredura de toda a sujeira que contamina a Terra. Não obstante, o dia e a hora, como eu já disse há dois mil anos, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho. Só o Pai.

Mas o mundo vai acabar em algum momento?

Estamos na iminência de um parto dolorido que culminará no alvorecer de uma nova era de paz, que perdurará por pelo menos mil anos. Isso não é meramente uma questão de crença. É uma previsão desde os tempos imemoriáveis que Deus facultou a alguns vislumbrar, como foi o caso do profeta Isaías. E, acima de qualquer previsão, a lógica e a matemática confirmam todas as profecias sobre o fim deste mundo caótico. Só que a lógica e a matemática nos levam a raciocinar dentro da racionalidade, diante das evidências, diante dos fatos, diante do que os nossos olhos veem.

Há sinais de que o fim está próximo?

Na atual conjuntura, as circunstâncias ambientais, a explosão demográfica, a fabricação de novas bombas atômicas, as guerras que estão em curso… é tudo apenas um prenúncio, uma preparação psicológica para a humanidade. São sete bilhões de pessoas na terra – isso é uma estatística oficial, mas existem muito mais – dentre as quais são um bilhão de pessoas famintas, e por “coincidência” são um bilhão de pessoas que nunca tocaram em escova de dente, de acordo com dados da OMS. Quem raciocina dentro da lógica e da racionalidade, começa a perceber que os valores estão todos invertidos.


Por quê?


Hoje em dia, na sociedade, mesmo aqui no Brasil, os criminosos são prestigiados. Quando morre um profissional do crime, um batalhão de militantes dos direitos humanos começam a se manifestar, e quando são mortos os agentes de segurança, os que cuidam da sociedade, é como se morresse uma mosca. Essas são as evidências, os sinais, as provas matemáticas de que o mundo está sendo preparado… e não acontece só aqui no Brasil. No mundo inteiro está assim.

Como podemos nos proteger do fim do mundo?

A tragédia nuclear é impossível evitar. É uma coisa que já está anunciada, prevista há milênios. O que pode sim é cada um se situar face ao Cosmos, ao Infinito, ao Eterno, ao poder de Deus, estabelecendo uma simbiose com Ele, meu pai, que é o Supremo criador, único ser incriado, único eterno, único ser digno de adoração e veneração. Ele permitiu que o ser humano descobrisse a bomba atômica, mas ao mesmo tempo, depois que a grande deflagração tiver acontecido, o senhor, meu pai, inspirará os cientistas sobreviventes a descobrir um método natural de anular os efeitos da radiação, encontrarão um antídoto dentro da própria natureza, dentro do próprio meio que sobrará após a hecatombe nuclear. Quem viver verá.

Mais aliviados?

Antes que o planeta acabe, divirta-se com a versão do hit Gangnam Style produzida pelas Inrizetes.





 Um doido a mais na terra de loucos


Se você anda pela avenida Paulista, em São Paulo, provavelmente já viu, ali no vão do MASP, uma figura que ficou conhecida como o "Tiozinho do Apocalipse". O Virgula Inacreditável parou para conversar com ele e saber um pouco mais sobre o fim do mundo, que, segundo ele, vem mesmo no dia 21 de dezembro.

Danilo de Matos é o nome dele. Nascido em São Paulo e hoje com 49 anos, ele foi motorista de executivos, mas largou o trabalho com carteira assinada no ano passado para "conscientizar as pessoas sobre o que acontecerá, para que elas se preparem e possam passar pelas transformações da melhor forma possível".

Casado e pai de três filhos (4, 8 e 11 anos), Danilo já expunha seus cartazes e distribuía os panfletos com explicações sobre o "fim do mundo" antes de deixar o emprego, embaixo de uma ponte no bairro da Lapa, há três anos. Desde janeiro deste ano, porém, às segundas, quartas e sextas, das 8h às 18h ele bate ponto na avenida Paulista, fazendo o mesmo trabalho de divulgação do apocalipse - que chama a atenção de muitos, mas é ignorado por milhares.

"Quando era motorista, tinha muito tempo livre esperando dentro do carro. Ficava lendo jornais, livros, revistas, a bíblia, a internet. Foi assim que meus estudos começaram. Minha esposa me deu uma bíblia de presente e eu comecei a ler e pesquisar assuntos como astrologia, astrofísica, cosmologia, física quântica, etc, para entender melhor", explica.


Segundo ele, a "revelação" veio por meio da leitura e estudo das profecias de Nostradamus, além dos povos Maias, Incas e Astecas e do "livro sagrado". "Foi uma revelação que eu tive. Ao conferir a estrutura de cada planeta, consegui detectar, dentro do livro do Apocalipse, o que é a proposta de Deus. Segundo esse parecer, a vinda dos seres humanos à Terra tem um propósito racional, que nos leva à vida eterna, em outra dimensão, na nossa verdadeira casa", diz.

Para ele, o fim do mundo como conhecemos acontecerá, de fato, no dia 21 de dezembro - mais exatamente na madrugada do dia 21, no Japão, e na tarde do dia 20, no Brasil -, conforme a profecia Maia. "Vênus explodirá e empurrará Mercúrio para dentro do Sol. A Terra será afastada do Sol, porque ficará muito calor aqui. A radiação cósmica, resultante desses impactos, pode produzir um novo elemento radiativo, que vai modificar a estrutura dos seres humanos, transformando-os em pedra viva e água viva, o que nos deixará imortais", constata.

Ele profetiza mais: a Terra ficará imersa em uma escuridão, que durará 150 dias. Neste período todos os seres humanos que sobreviverem sofrerão muito até serem resgatados por naves espaciais, que levarão os sobreviventes para a outra dimensão, onde a vida, enfim, começará de verdade...

Ele dá dicas para quem quiser se safar: "é importante estarmos em locais altos, pois haverá uma grande onda inundando as cidades, e fazermos um estoque de mantimentos como azeite, mel e sardinha em lata, que ajudarão a enxergar em meio a escuridão", ensina. Ele faz seu próprio estoque de comida há dois anos e diz mora "próximo às montanhas".



Além de citar filmes como Avatar, Matrix e até o guarda-roupa de Crônicas de Nárnia para explicar como funciona o nosso mundo, Danilo afirma que o preparo psicológico é o mais importante para a sobrevivência. "Você sabendo o que vai acontecer e como vai acontecer, pode tomar suas precauções. Estar perto das pessoas que você ama será fundamental, pois a comunicação da Terra será cortada e não teremos notícias dos que estão longe. Estando perto, o pânico será menor", dá a dica.

Danilo diz que não está nesta função para ganhar dinheiro (nem teria como, né?), já que tem renda própria e consegue garantir seu sustento por mais um ano (algo controverso). Ele conta que, na Paulista, muitos param, conversam, outros tiram sarro e alguns até já tentaram exorcizá-lo. Mas ele segue confiante de que seu alerta pode servir para orientar e tranquilizar as pessoas. "Minha finalidade é avisar aos irmãos que é hora de voltar para casa".

Para aqueles que já pensam em sair gastando no cartão de crédito a rodo por conta do fim do mundo, um esclarecimento. Segundo o Prof. Dr. Samuel Rocha de Oliveira, do Depto. de Matemática Aplicada da Unicamp, nenhum evento astronômico como o esperado por Danilo está programado para a data. "Trata-se apenas de um final de calendário Maia, assim como são todos os dias 31 de dezembro para o calendário que usamos", garante. Portanto, parece que o fim não está tão próximo quanto pensa o nosso profeta da avenida Paulista. 


Com informações VejaSp/Vírgula











 

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail