681818171876702
Loading...

Adolescente evangélica que leiloa virgindade repercute na imprensa. Polícia quer saber a identidade do vereador que deu lance. Veja vídeos.



Virgem evangélica pode ser intimada a revelar nome de vereador de Feira que ofereceu lance. Acusação da garota é grave porque coloca todos os vereadores sob suspeita.

Saiba mais sobre o caso na primeira matéria veiculada pelo GENIZAH clicando AQUI.



Depois de tentar leiloar sua virgindade há duas semanas, a jovem Rebeca Bernardo Ribeiro disse ter recebido um lance de um homem que se identificou como vereador de Feira de Santana. A estudante, que vive no município de Sapeaçu, a 156 quilômetros de Salvador, teria rejeitado a proposta de R$ 35 mil.

Mas, a informação causou rebuliço na Câmara de Vereadores de Feira. Uma comissão foi eleita para ir a Sapeaçu conversar com o delegado titular da cidade.

“Um pedido de apuração foi encaminhado para que ele intime a moça para prestar depoimento e revelar de quem se trata”, afirma o vereador Carlito do Peixe (DEM), que faz parte da comissão. Para Peixe, a acusação é grave porque coloca todos sob suspeita.

Rebeca Bernardo Ribeiro contou, em entrevista ao programa Brasil Urgente, da Band, que a primeira oferta recebida partiu do vereador feirense e que ele pediu para que sua identidade não fosse revelada. Segundo a coluna Tempo Presente, uma comissão  irá até a cidade da jovem e tentará convencê-la a revelar a identidade do autor da proposta.

Segundo o delegado titular de Sapeaçu, Fabrício de Alencar,  Rebeca depôs ainda ontem. “Ela afirma que a pessoa fez contato por telefone, mas apenas se identificou como vereador de Feira. Disse que ele voltaria a ligar, mas que não ligou”, afirmou.

Papel de agenciador em leilão de virgem é crime

Para o Ministério Público, o caso de Rebeca Bernardo,  a virgem de Sapeaçu que decidiu leiloar  a 'primeira vez' na internet, não vai de encontro à lei. "O caso dela, que é maior de idade e livre, não se enquadra nem como prostituição nem como comércio", afirmou ao A TARDE Sônia Suga, promotora de justiça da comarca de Conceição do Almeida e substituta em Sapeaçu.

Por outro lado, segundo a análise da representante do Ministério Público, a ilegalidade diz respeito ao papel de agente intermediário. Isso porque o leilão vem sendo intermediado por Mateus Souza, amigo de Rebeca que também se identifica como assessor dela. "Por isso, pode haver problemas com a lei", alerta a promotora.

Sônia Suga lembra que o tráfico de partes do corpo humano é crime, e, no caso da estudante baiana, a conduta passível de punição é a de quem faz a intermediação do leilão da virgindade dela.

"De acordo com o código penal brasileiro, tirar proveito da conduta alheia é um crime chamado de rufianismo", explicou a representante do MP. Rufianismo é o tipo penal previsto no Artigo 230. A pena de reclusão vai de um a quatro anos, além de multa. Desinformado quanto à ilegalidade de seu papel, Mateus vê o caso com naturalidade.

"Estou apenas ajudando. A ideia partiu dela. Depois que o leilão acabar, ela não vai se prostituir. Ela quer apenas melhorar de vida e ajudar a mãe, dona Divinalva, de 59 anos, que teve dois derrames", justificou.

A adolescente fez teste para o BBB



Arremate próximo 
Mateus confirma que o leilão propagandeado pela amiga no site Youtube já começa a render ofertas. Um lance de R$ 60 mil é o maior recebido até o momento pela virgem de  Sapeaçu, cidade do Recôncavo distante 155 quilômetros da capital. A oferta é de um empresário de 38 anos, de Salvador.

"Nossa contraproposta foi de R$ 100 mil, mas se chegarmos a R$ 70 mil, fechamos", afirmou Mateus.
Segundo ele, um outro empresário de Salvador  convidou Rebeca para ser garota-propaganda de um comercial de fraldas descartáveis. "Ele disse que pagaria R$ 2 mil para ajudá-la, fora o cachê pelo comercial. Estamos estudando",  diz o agente.

Sem beijos e abraços - O assessor da estudante já está criando regras para aquela que será a primeira vez da jovem, que acontecerá na Bahia, mas longe de Sapeaçu. "Fora daqui. Junto com um advogado estamos preparando um contrato. Não terá beijos e abraços, apenas o ato, mas com uso de preservativo e os dois passarão por uma série de exames antes".

Alvo de piadas e julgamentos populares na cidade, Rebeca lembra que está fazendo isso pela saúde da mãe. "Algumas pessoas acham que estou me prostituindo. Não vejo assim, pois não faço programa", defende-se. Amélia dos Santos, vizinha, diz que a jovem e a mãe passam necessidades. "É uma vida difícil. Sem pai, sem trabalho e a mãe doente".

Na reportagem de Record. Repare no final do vídeo onde mulher diz para virgem abrir uma igreja, detalhe que o Genizah não poderia passar batido (rsrs).




Tipo de caso é recorrente
Além do repercutido mundialmente caso da brasileira Catarina Migliorini, de 20 anos, que leiloou a virgindade, outro muito semelhante ao de Rebeca já havia ocorrido no equador.


Evelyn, de 28 anos, em reportagem do jornal El Mundo
Uma equatoriana de 28 anos, que mora em Valência, na Espanha, colocou sua virgindade à venda para poder pagar um tratamento de saúde para sua mãe, revelou o jornal El Mundo.

Segundo a publicação, o salário de Evelyn, que trabalha como faxineira na Espanha, onde vive há sete anos, não é suficiente para pagar um bom especialista. “Gostaria de poder pagar um bom médico e voltar ao Equador para cuidar dela”, disse. A reportagem não informa qual é a doença da mãe da jovem.

O jornal espanhol afirma ainda que, apesar de o lance inicial ter sido fixado em 15 mil euros (US$ 21 mil), ela já recebeu uma oferta de 2,3 milhões de euros (US$ 3,2 milhões). No entanto, a proposta foi rejeitada porque o interessado queria continuar a se encontrar com ela depois do primeiro ato sexual.

“Não acho que leiloar minha virgindade vá resolver todos meus problemas, mas me proporcionará alguma estabilidade financeira. Quero me superar, seguir adiante e terminar meus estudos”, declarou Evelyn, que pretende se formar em medicina.

Evelyn diz em seu anúncio que dará à pessoa escolhida um certificado médico comprovando que é virgem. Ela também estabelece condições para o vencedor do leilão: os beijos e as carícias estão proibidos e o preservativo é obrigatório.

A jovem exige ainda um certificado médico que garanta a boa saúde do interessado. “Algumas amigas me parabenizaram, outras recriminaram. As pessoas que julgam são as que mais têm coisas a esconder. E desconhecem que há um motivo importante por trás disso”, comentou.

“Não estou roubando nada. O corpo é meu e faço dele o que quiser”, conclui. Evelyn não é a primeira mulher que leiloa sua virgindade. Uma americana de 22 anos, Nathalie Dylan, tomou a mesma decisão em 2008.


Com informações A Tarde/Correio 24h/Bahia Notícias/Record Bahia/Radio Bandeirantes






 
sexualidade 313421612998668755

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail