681818171876702
Loading...

Evangélicos gastam mais que católicos com pensão

Segundo o POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares) evangélicos têm maior parcela de gastos com pensões, mesadas e doações

Os dados são da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) e foram divulgados nesta sexta-feira(14/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Famílias com pessoa de referência espírita tinham a despesa total média familiar (R$ 4.821,66) duas vezes maior que famílias de evangélicos pentecostais (R$ 2.035,01). 

Dentro do grupo de Outras Despesas Correntes, o item pensões, mesadas e doações apresentava percentuais significativamente maiores nas famílias de evangélicos de missão (20,2%), evangélicos de origem pentecostal (19,2%) e outros evangélicos (13,3%), enquanto representa apenas 7,6% para as de espíritas, 9,2% para as de católicos e 9,5% para as de sem religião e não determinadas.


Famílias de espíritas gastam mais que o dobro das evangélicas pentecostais

Na análise do perfil das despesas, a estrutura de gastos das famílias, segundo a religião da pessoa de referência, aquelas com pessoa de referência espírita tinham a despesa total média familiar (R$ 4.821,66) igual a mais que o dobro das famílias com pessoa de referência evangélica pentecostal (R$ 2.035,01).

Na distribuição percentual dos grupos de despesas, habitação teve a maior participação relativa em todos os estratos, variando de 28% a 31%, aproximadamente. O grupo transporte se destacou com a segunda maior participação percentual entre os grupos de despesas para as famílias com pessoas de referência dos grupos outras evangélicas (17,2%), espíritas (16,2%), evangélicas de missão (16,1%) e outras religiosidades (14,9%). Já o grupo alimentação ficou com a segunda maior participação entre as famílias com pessoa de referência evangélica pentecostal (17,9%), católica romana (16,2%) e sem religião e não determinada (15,6%). O grupo outras despesas correntes destacou-se com percentuais bem maiores para os espíritas (14,5%) e os sem religião e não determinadas (13,4%).

Em termos de valores, observou-se que, apesar dos percentuais do grupo transporte estarem próximos entre as famílias com pessoas de referência evangélicas de missão (16,1%), outras evangélicas (17,2%) e espíritas (16,2%), esse último grupo apresentou os maiores valores em reais (R$ 780,84), enquanto os estratos com pessoas de referência evangélicas de missão e outras evangélicas tiveram despesas médias de R$ 454,39 e R$ 476,98, respectivamente.

Dentro do grupo de Outras Despesas Correntes, os gastos com pensões, mesadas e doações apresentavam percentuais significativamente maiores nas famílias com pessoa de referência evangélica de missão (20,2%), evangélica de origem pentecostal (19,2%) e outras evangélicas (13,3%), enquanto representa apenas 7,6% para o grupo com pessoa de referência espírita, 9,2% para católico e 9,5% para sem religião e não determinadas. Os valores médios foram de R$ 64,30 para o grupo evangélico de missão, R$ 33,40 para evangélico de origem pentecostal e R$ 31,36 para outros evangélicos.

Já o item impostos teve maior peso para famílias com pessoa de referência espírita (46,3%), outras religiosidades (46,5%) e sem religião e não determinada (48,1%), enquanto representou 33,0% para evangélica de origem pentecostal, 35,0% para evangélica de missão e 37,5% para outras evangélicas. Em termos de valores, no caso do estrato das famílias com pessoa de referência espírita, esse item teve um valor médio de R$ 323,06, ou seja, mais do que o dobro da média Brasil (R$ 121,70) e 5,6 vezes o estrato com a menor despesa (evangélica de origem pentecostal com despesa média de R$ 57,34).


Com informações de Dinheiro na Conta e Agência Estado






 

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail