681818171876702
Loading...

Edir Macedo dá cano nos fãs no lançamento de seu livro

Dispostos a perder 35 paus na compra do livro "Nada a Perder", de Edir Macedo, os seus fãs tiveram que se contentar com autógrafos substitutos, já que Edir teve o seu dia de Tim Maia e simplesmente não apareceu. Chame o síndico!

Mesmo com a presença da Ana Hickmann, o destaque (negativo) para o fã Marcelo que queria agarrar na mão do hómi pra "pegar uma unção"... eu, hein!

A notícia é da Folha:


Centenas de fiéis vão à Paulista por Edir Macedo, que não aparece

ALBERTO PEREIRA JR
DE SÃO PAULO
ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER
DA COLUNA MÔNICA BERGAMO

Lançamento de livro de Edir Macedo neste sábado (1) reúne centenas de pessoas em São Paulo. O bispo, no entanto, não participou do evento.

"Queremos ser igual a ele. Se ele não tivesse a ousadia de seguir em frente, muitas almas teriam sido perdidas", diz Helen Nayani Rangel, 20, de Diadema, referindo-se ao bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

Helen e cerca de 30 frequentadores da Universal de Piraporinha, no ABC paulista, juntaram-se a centenas de outras pessoas. Muitas caravanas vieram para o lançamento da autobiografia "Nada a Perder", de Macedo, na Livraria Cultura, do Conjunto Nacional.

A fila de fiéis, desde as 11h, dava a volta em todo o quarteirão, formado pela Avenida Paulista, pelas ruas Augusta e Padre João Manuel e pela alameda Santos.

O bispo, contudo, não apareceu.

"O que eu mais quero é pegar na mão dele. Pegar uma unção", afirma Marcelo Gonçalves, 21, de Mauá.

"Falaram para a gente comprar [o livro], que ele ia autografar", diz Luciana Lourenço, 28, de Osasco.

Informada pela reportagem de que Edir Macedo não apareceria, Rafaela Mendonça, 24, de São Bernardo, não desanimou: "Tudo bem! Já é uma bênção participar desse evento".

SUBSTITUTOS DE MACEDO

No lançamento paulistano de "Nada a Perder", Edir Macedo foi representado pelos bispos Jadson Santos e Guaracy Santos e por Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record. Os três é que autografavam os livros. Um telão mostrava vídeos com depoimentos de Macedo via Skype.

A Livraria Cultura tinha no seu estoque 5.000 exemplares. Duas horas depois de iniciada a sessão, metade já havia saído.

Artistas da Record também passaram pelo evento, como a apresentadora Ana Hickmann, os jornalistas Ana Paula Padrão, Paulo Henrique Amorim e Celso Zucatelli. O bispo Honorilton Gonçalves, vice-presidente artístico e de programação da emissora, também compareceu.

No lançamento carioca, também realizado nesta semana, 2.000 cópias foram vendidas em quatro horas.

Ao todo serão feitos 30 eventos para o livro, em cidades como Santos, Campinas e Belo Horizonte.




'NADA A PERDER'

Escrito em parceria com Tavolaro, "Nada a Perder" (Planeta, R$ 35) se propõe a contar "os segredos espirituais mais íntimos" de Edir Macedo.

Os primeiros capítulos relatam os 11 dias em que o bispo passou na prisão, em 1992. Vinte anos depois, Macedo tenta desmontar as acusações feitas contra ele na época.

Ele foi acusado de "ser charlatão, curandeiro e estelionatário". Um dos seus advogados era Márcio Thomaz Bastos, que anos depois viria a ser ministro da Justiça.

"O meu nome foi surrado por anos seguidos. Para quem me odiava, bispo Macedo era sinônimo de bandido. Isso é assim até hoje", relata Macedo em um trecho do livro.





 

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail