681818171876702
Loading...

Troca-troca ecumênico na California

Hélio Pariz

Depois de um longo calvário de caos financeiro que terminou no inevitável processo de falência, a outrora evangélica Catedral de Cristal de Robert H. Schuller foi vendida à diocese católica de Orange County, na California (EUA).

Robert H. Schuller, hoje com 85 anos de idade, foi um dos primeiros televangelistas norteamericanos e – coincidentemente – um dos primeiros divulgadores da teologia da prosperidade, o que não o impediu de encarar a bancarrota final.

Schuller foi um dos grandes expoentes do ramo de “auto-ajuda gospel”, com livros cujos títulos em português dão uma boa ideia do que ele pregava: "Você Pode Ser Quem Deseja", "Auto-Estima, A Nova Reforma", "Floresça onde Está Plantado", "Atitudes para Ser Feliz", e também a série "Descubra" ("Suas Oportunidades", Como Acertar Suas Prioridades", "a Liberdade", "o Amor").

A derrocada da Catedral de Cristal, em meio a denúncias de fraudes e desvios de dinheiro, foi um processo acompanhado de perto nos Estados Unidos em razão sobretudo da maravilha arquitetônica representada pelo templo construído por Schuller.

Talvez seja por isso mesmo que a diocese católica de Orange County não perdeu tempo, fez as contas na ponta do lápis, e percebeu que sairia mais barato comprar a Catedral de Cristal no processo de falência do que projetar e construir um novo templo católico na região.

Em novembro de 2011, apesar de toda a resistência da família Schuller, a Catedral de Cristal foi arrematada na bacia das almas pela bagatela de 57,5 milhões de dólares, e a partir daí surgiu uma espécie de “concurso” para dar o novo nome ao local.

Para agradar a congregação evangélica de Schuller e facilitar a negociação, segundo noticia o Los Angeles Times, a diocese católica de Orange County ofereceu em troca a catedral católica de São Calixto, que fica a cerca de 1,5 km da Catedral de Cristal, numa operação de aluguel que começará em junho de 2013 e não será pago até janeiro de 2014, e depois haverá um bom desconto.

Considerando o troca-troca ecumênico inusitado na história da cristandade, ambas as igrejas terão que ser remodeladas e readequar a decoração de seus templos, tirando as imagens de um e colocando no outro, por exemplo, tudo com ordem e respeito mútuos.

Já quanto ao “concurso” do “batismo” da nova Catedral católica, foram apresentados nomes como “Cristo-Rei”, “da Transfiguração” e até um esquisito “Igreja do que Está Acontecendo Agora”, mas o título vencedor foi “Catedral de Cristo”.

Uma das razões pelas quais o nome teria sido escolhido foi exatamente para que o belíssimo templo continue aberto a todas as pessoas, sem distinção de fé (ou ausência dela), e também para celebrar a maneira tranquila (dentro do possível, é claro) que a transição entre as confissões está sendo feita na base de um civilizado toma lá dá cá. 







 

Postar um comentário

Página inicial item

Siga por e-mail