681818171876702
Loading...

SEXO-no-ie: A religião do sexo


Márcio de Souza


Você já reparou no que se transformou o sexo? No conceito cristão, sexo é fonte de prazer, serve para a reprodução e para aumentar a intimidade do casal, além de consumar o casório. Porém, o que temos visto hoje em dia passa de banalização, já se tornou algo parecido com um religião.



Jack Nicholson, ator norte americano, protagonizou uma das maiores polêmicas com respeito a sexo. Ele afirmou que não conseguia de forma alguma ficar sem sexo durante um dia apenas, detalhe, precisava ser sempre mais de uma vez e com parceiras diferentes. Salomão ficaria com inveja e se remexeria na tumba!

Michael Douglas, após ter filmado instinto selvagem com Sharon Stone e assédio sexual com demi Moore teve que ser internado em uma clínica de reabilitação para dependentes de sexo (também, pediu pra que isso acontecesse né).

O grande caso é que o sexo é forte, é coisa de instinto! Precisa ser tratado com respeito e aproveitado com responsabilidade, porém com muito desprendimento. Não estou falando de práticas, mas de entrega, entrega total ao parceiro. Dentro do casamento, e o sexo foi criado por Deus para ser usufruído nesse contexto, não há prisões para soltar o prazer, são duas pessoas que se amam, aproveitando o momento mais íntimo na comunhão carnal!

Precisamos vigiar para que o sexo, não se torne uma compulsão. Para que não fiquemos dependentes dele, e religiosamente ansiosos pelo momento de fazê-lo. Deus aprova e assina embaixo do sexo com muito prazer, porém precisamos fazê-lo sem furor, para que não nos tornemos como animais no cio que apenas ao sentir o cheiro do outro já quer se atracar. Somos racionais e devemos nos comportar como tais, achando o equilíbrio para uma vida sexual sadia!

Pratiquem, mas não deixe que o sexo se torne uma religião!


***
Fonte: Márcio de Souza
sexualidade 1719668225497261796

Postar um comentário

  1. OLÁ!!!
    PARABENS PELO TEXTO LINDO E EQUILIBRADO!
    JÁ A IMAGEM QUE COLOCARAM NAO SEI...

    ResponderExcluir
  2. É um texto muito interessante que retrata algo que muitas vezes tem passado despercebido pela nossa sociedade. O capitalismo tende a absorver e modificar quase tudo para o proveito da comercialização e infelizmente o capitalismo bate forte na hora de banalizar a essência do sexo afim de angariar adeptos para uma "religião" que distorce um presente de Deus em modos de usufruir um prazer superflúo, que não nos torna melhores, mas ajuda aos que tentam nos manipular a ficar cada vez mais no poder. A banalização do sexo diminui a intensidade da relação entre as pessoas. Deus quer que nos amemos como Ele nos amou. A relação entre um casal deve ser digna e recíproca. Quem está no poder quer que as relações sejam cada vez mais superficiais e sem vínculos, o que ajuda a população manipulada a seguir facilmente as regras do capitalismo selvagem. Devemos viver uma vida sexual sadia baseada no amor recíproco.Que a nossa dependência seja única e exclusivamente de Deus. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Demorei pra entender o título do post, hahaha, muito bom! Belo texto!

    ResponderExcluir
  4. Sem mais, basta um trecho de um daqueles textos lúcidos de Chesterton:

    "... há uma diferença entre conseguir o que se quer, sob certas condições e permitir que as condições lhe digam o que você pode conseguir, ou mesmo o que você quer. No entanto, é possível passar pela vida sendo controlado pelas circunstâncias dessa forma. Se minha quadra de tênis for inundada, posso, claro, transformá-la num lago ornamental. Ou posso me dar o trabalho de drenar o campo e protegê-lo contra inundações, permanecendo fiel ao ideal abstrato e dogmático de uma quadra de grama. Se uma árvore cai sobre minha casa e faz um buraco no teto, posso transformar o buraco numa clarabóia e a árvore numa saída de emergência. Mas se eu não quiser uma clarabóia e uma saída de emergência, estou sendo manipulado pela árvore. E isso é uma posição indigna para um homem.

    É a posição indigna da maioria dos homens modernos. Eles são oportunistas, não só no sentido de conseguirem o que querem da forma mais prática, mas de tentarem querer a coisa mais prática; isto é, meramente a coisa mais fácil. Essa é a razão de eles não entenderem a base do idealismo cristão em muitas questões e especialmente na questão do sexo. Eles estão sempre sendo desviados pelas inundações e árvores caídas, especialmente aquela árvore do conhecimento que é o símbolo da queda e que certamente fez um buraco na casa, no sentido do lar. Mas a questão aqui é que essas pessoas constroem um novo plano ou propósito sexual depois de cada eventual novo acontecimento. Quando há mais mulheres do que homens, eles começam a falar sobre poligamia. Quando há mais crianças do que é conveniente para os indivíduos criarem com um salário decente, eles começam a falar de alguns truques que são um tipo de substituto para o infanticídio.

    Ninguém pode entender a teoria do sexo cristã sem entender a idéia do homem ter um plano que ele deseja impor sobre as circunstâncias, ao invés de esperar pelas circunstâncias para então ver que plano ele vai ter. O cristão deseja criar as condições para que o casamento cristão seja possível e digno em si; não aceitar qualquer coisa possível nas mais indignas condições".

    (Chesterton)

    ResponderExcluir
  5. Sim, na verdade devemos vigiar para que nada venha a se tornar uma compulsão em nossa vida.
    Não só no que diz respeito ao sexo, mas nesse caso específico, não é nada fácil... Mas também não é impossível...

    ResponderExcluir
  6. Li o texto, mas achei a imagem nojenta, nojenta mesmo!
    E falando em nojento lembrei do Boris Casoy, aquele repugnante!

    ResponderExcluir
  7. Ahhhh! Melhorou! Mas não dava para ser uma freira horrorosa?(Brincadeirinha)

    ResponderExcluir
  8. Eu não tinha notado na imagem. Vi por alto. Me mandaram assim, postei assim. Quando vcs falaram fui ver "as partes" em ação... KKKKK

    ResponderExcluir
  9. Excelente abordagem do assunto.
    É, a coisa tá feia! É preciso vigiar mesmo.
    Temos visto esse instituto sagrado se transformar em comércio, opção (homem + mulher, homem + homem, mulher + mulher etc), doença e por aí vai.
    Deus nos abençoe.

    ResponderExcluir
  10. Eu acho que o Jack Nicholson tá de papo furado, conversa mole de gente velha! Quanto ao Michael Douglas, aquilo é de família. O pai dele, o Kirk Douglas, também era assim: comia todo mundo, ninguém queria contracenar com ele. E logo em quem ele foi se esfregar: Sharon Stone e Demmi Moore! Pois é...deu no que deu, piração total!!! Eu por aqui, vou com calma com a minha velha, só "na manha", como se diz aqui no Amazonas. E moro bem longe do Hospício Eduardo Ribeiro, mais de 5 Km. Não há a mínima chance de eu ser um dos "inquilinos". Sai pra lá urubú!!!

    ResponderExcluir
  11. É.
    A situação é um tanto caótica e salve-se por quem puder, pq o sexo promiscuo e sem compromisso bate a porta de todo mundo, mais cedo ou mais tarde. A solução é atender a porta com seu/sua parceiro/a e botar a visita indesejada pra correr.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Comente usando a sua conta Google ou use a outra aba e comente com o perfil do Facebook

emo-but-icon

Início item