681818171876702
Loading...

Presbitero morre durante o culto, em pleno altar.

O vídeo a seguir mostra a filmagem da morte ao vivo de um presbítero de 87 anos de idade, da Igreja Assembleia de Deus de Botucatu (SP). O vídeo tem 10:10 min. de duração e ali pelo 3:08min o presbítero dá seu último suspiro, enquanto uma moça canta o verso "Chegou a sua hora...". Meio minuto depois, o pastor percebe o acontecido e o culto prossegue, com alguma agitação atrás da cantora. Depois, o pastor lidera a congregação no cântico do hino "Mais Perto Quero Estar".



Helio, do blog Contorno da Sombra , considera:


O vídeo a seguir mostra a filmagem da morte ao vivo de um presbítero de 87 anos de idade, da Igreja Assembleia de Deus de Botucatu (SP). O vídeo tem 10:10 min. de duração e ali pelo 3:08min o presbítero dá seu último suspiro, enquanto uma moça canta o verso "Chegou a sua hora...". Meio minuto depois, o pastor percebe o acontecido e o culto prossegue, com alguma agitação atrás da cantora. Depois, o pastor lidera a congregação no cântico do hino "Mais Perto Quero Estar".

Ainda que seja uma cena tocante do ponto de vista religioso, e mesmo que não se saiba exatamente o estado de saúde do presbítero, o que chama a atenção é que - aparentemente - ninguém tentou socorrê-lo, seja fazendo alguma manobra de ressuscitação cardiopulmonar (RCP), seja simplesmente levando-o rapidamente ao pronto-socorro mais próximo. Enquanto havia uma provável parada cardíaca no altar, sequer a música foi interrompida para que se procurasse na audiência alguém habilitado para tanto, talvez um médico, uma enfermeira, um bombeiro, um estudante... A igreja preferiu uma espécie de velório instantâneo a ter que fazer qualquer tentativa simples que fosse de ajudar o irmão. Pouco antes de sua partida deste mundo, ele parecia estar bastante interessado no culto, chegando inclusive a cochichar algo com o pastor. Será que já estava se sentindo mal? Será que a igreja pode decidir quando é que chegou a hora de alguém? Será que a eutanásia no altar é legítima? Será que o presbítero, mesmo com 87 anos de idade, não queria viver um pouco mais?


Zé Luiz do Cristão Confuso argumenta:

Logicamente, um dos editores do blog Contorno da Sombra, Dr. Hélio, é advogado, e sua visão parte do ponto de vista de seu ofício (o que não está errado).

No decorrer do vídeo, a reação dos pastores é mais curiosa ainda.

Daí a questão: qual seria a reação correta diante do fato de um ancião morrer em plena atividade eclesiástica, durante um hino e dentro da igreja? Isso não é "sonho de consumo" de muitos cristãos sinceros? Não falo aqui do ponto de vista legal, já que, pelo que constatei, nenhum socorro médico foi solicitado, ou se foi, não vi.Desta forma, pode se enquadrar em punições previstas pelo código penal.

A questão da morte aqui é: diante de Deus, nesta situação, devemos nos alegrar, ou tentar reverter esse quadro de morte? O que me confunde é que rumo tomar numa situação destas?

Danilo, do Genizah considera:

Sobre o aspecto legal e em relação ao socorro penso como Hélio, fosse com qualquer um, menos para mim !
Tivessse eu nesta idade e fosse "convocado" nestas ciscusntâncias iria dar Glórias pessoalmente.
Claro que seria um momento bom para morrer! Além do lucro a minha espera no encontro com o Pai, ficaria o maior conforto aos entes queridos, já cobertos pelo calor da igreja reunida no momento! Sem contar o testemunho!

Algumas horas depois deste postagem, Zé Luiz contribui com a explicação do próprio Pastor presente ao ocorrido. Confesso que fiquei emocionado com o relato. Já tinha conhecimento de casos semelhantes. 



Abaixo, toda a explicação, que pode ser vista no Uma Vida com Deus, em Noticias/ Nota de Falecimento, relata todo o contexto do que ocorreu naquela noite:


Prezados irmãos e amigos, a paz do Senhor esteja com todos vós!

Realmente o vídeo no YouTube, não é possível acompanhar todo o ocorrido. Porém, aguardem que estamos dividindo o vídeo em partes para colocá-lo no ar.


Outros fatores marcaram esse episódio. No quarteirão da residência do irmão Anísio, ele era o único crente, e não se sabe até a presente data, a causa de uma queda de energia, ficando somente o quarteirão no escuro, e exatamente na hora da partida do irmão. Ou seja, Deus estava mostrando para a esposa do irmão Anísio, e para todos os seus vizinhos que uma luz se apagara naquele quarteirão...

Este irmão era presbítero (um cargo eclesiástico na igreja) um senhor com 87 anos de idade, que iria completar no dia 26/12, 88 anos. Um homem crente, temente e fiel a Deus. Seu desejo (e ele falava a todos) era partir para a eternidade dentro da igreja, e Deus lhe privilegiou. Permitindo sua partida, logo após ter pregado a palavra de Deus.

Não nos omitimos em socorro, apenas glorificamos a Deus, por ser SUPREMO e ABSOLUTO e faz o que melhor lhe apraz... Oxalá que minha partida para a Glória assim fosse!



Iniciamos o culto com a liturgia de sempre, e no momento das pregações, por ser um senhor idoso, e muito respeitado por todos, pedimos que nos trouxesse a pregação da noite, o que fez, como sempre, com brilhantismo... Inclusive, pregou no texto de João 11, sobre a ressurreição de Lázaro, dando ênfase nos vs. 25, 26, 43 e 44. O interessante, é que o irmão Anísio, possuía duas bíblias, a que trouxe para a Igreja no dia do seu falecimento, e diga-se, estava toda marcada com esferográfica vermelha, que ficou dentro da bíblia, e outra bíblia, que estudava em casa. Ao visitar sua esposa (não evangélica) esta mostrou-me a bíblia de estudos com as mesmas anotações, com um detalhe interessante, no versículo 44, quando termina o mesmo, o irmão Anísio faz um traço em vermelho, e escreve: Fim. (O que nos faz acreditar, que até ali, lhe fora permitido por Deus, falar, e nada mais...) Foi exatamente o que fez...

Após concluir sua prédica, (em todas as vezes que o irmão Anísio pregava, concluía suas palavras dizendo o seguinte: “Os irmãos continuem orando em meu favor para que eu tenha vida e saúde para continuar falando do grande amor de Deus”). Nesse dia, excepcionalmente, não disse o mesmo, mas disse: “Muito obrigado pela vossa atenção” e encerrou.


A Igreja, os pastores e boa parte da família do nosso querido e já saudoso irmão Anísio estiveram presente, inclusive, seu filho que é Pastor em S. Paulo no setor de Tucuruvi e neto do irmão Anísio, que também é Pastor junto com o pai em S.Paulo estiveram presentes. E ainda, um padre muito amigo do irmão Anísio se fez presente na hora do culto fúnebre.

Assentou-se em seu lugar de sempre, e falou comigo assim: “Pastor me perdoe se tomei muito tempo”, ao que lhe respondi: “Nem me peça perdão, o irmão não pecou, somente pregou a palavra de Deus, fique em paz”. E enquanto se ouvia um cântico, inclinou a cabeça, e ao levantá-la, partiu para a eternidade sem esboçar sequer um gemido, um ai, ou qualquer outra reação, simplesmente partiu... (espiritualmente, atente para o cântico, e ouça que a cantora canta “e chegou a tua hora” nesse momento o irmão parte...).



Temos o culto gravado sem edições e cortes, para, se necessário, em juízo, ser apresentado.

Ao detectarmos sua partida, verifiquei pulsação, batimentos cardíacos, embora não seja médico, mas pastor; e imediatamente, meu filho que é presbítero na Igreja, ligou para pedir auxilio do Corpo de Bombeiro (resgate) que se demoraram cerca de uns 10 minutos. Enquanto não chegavam, o deitamos nas cadeiras do púlpito, e senti desejo de adorar a Deus cantando, pois, cantamos quando nasce uma criança, mas também quando o Senhor recolhe ao descanso um servo Seu. Aguardamos a chegada dos bombeiros, que ao chegar ao templo verificaram que realmente o irmão Anísio já havia falecido, porém, comunicaram-nos, que iria levá-lo ao pronto socorro da UNESP em Botucatu, para a constatação da causa morte, o que fizeram. E não permiti que fosse filmado o corpo do nosso querido irmão deitado sobre as cadeiras e nem a retirada do mesmo pelo corredor central da Igreja, pois, estávamos ao vivo para o mundo todo pela nossa WebTV “Uma Vida com Deus”. Porém, respeitosamente, em silêncio total, pedimos que toda igreja se levantasse e num gesto humanitário e cristão, e aguardássemos a retirada do corpo de nosso irmão do templo. Como não tínhamos mais condições de continuar com o culto, finalizamos o mesmo, e mantivemos o Templo aberto para o velório, pois, era desejo do irmão Anísio ser velado na Igreja. Tão logo fosse liberado seu corpo.


Deus continue abençoando em Cristo Jesus a todos, que deste vídeo tomar conhecimento

Segundo relatos de pessoas, e enfermeiros no hospital, disseram que, quando o corpo do irmão era retirado do veículo de resgate e era conduzido ao PS, era como que uma luz estivesse adentrando de corredor adentro do hospital... E perguntaram o que era aquilo?. E foi dito, que ele era um crente em Jesus, disseram: “só podia ser...”


Pastor Rúben Oliveira Lima - Igreja Assembléia de Deus em Botucatu – São Paulo


Veja também o último sermão pregado pelo irmão Anízio, poucos minutos antes de sua promoção ao Céu:






Últimas 6579742271803495449

Postar um comentário

Início item
Instagram


Siga por e-mail